468x60
Início BRASIL Mulheres do PCC matam jovens com mais de 50 facadas
Mulheres do PCC matam jovens com mais de 50 facadas

Mulheres do PCC matam jovens com mais de 50 facadas

381
0

Duas jovens, uma delas com a identidade ainda não revelada, foram raptadas e mortas a tiros e facadas no Anel Viário, zona periférica de Boa Vista, capital de Roraima. Os crimes teriam sido fotografados e filmados pelos próprios homicidas, que são integrantes do crime organizado.

A quadrilha composta de 9 bandidos, usou quatro mulheres para praticar os homicídios. Elas se dividiram em duplas para torturarem e executarem as vítimas.

As suspeitas estavam armadas com facas, punhais e facões e ainda fizeram selfies durante o rapto, quando as duas jovens condenadas pelo crime organizado ainda estavam dentro do porta malas do carro.

As imagens e vídeos foram divulgados pela polícia civil durante coletiva na manhã desta quinta-feira (14). As provas do homicídio teriam sido enviados para dentro da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo onde estaria preso o líder do PCC em Roraima. A ação da polícia civil para identificar as criminosas foi feita em conjunto com a Dicap (Divisão de Captura) da Sejuc.

Tortura e Morte

As vítimas foram torturadas antes de serem mortas, uma delas com mais de 50 punhaladas de arma branca.

O corpo de Arali Dayane Cardoso de Oliveira, de 19 anos, foi encontrado no dia seguinte ao rapto. A outra, que pode se chamar Rayane, ainda não foi identificada pela polícia e nem teve o corpo encontrado.

“A segunda vítima, que aparece sendo executada no vídeo, nós ainda não sabemos quem é precisamente. Já sabemos que o corpo foi enterrado no Anel Viário, mas a área é grande e demandaria busca e isso já está sendo providenciado. As próprias infratoras que confessaram o crime não sabem precisar o local. Ou estão mentindo ou realmente como fizeram isso à noite e agora não lembram exatamente o local em que o corpo foi enterrado”, explicou a delegada responsável pelo caso, Mirian Di Manso.

As cenas macabras do chocaram até mesmo os policiais acostumados com crimes violentos.

“Um dos objetivos da coletiva é expor a figura dos que já foram identificados, que já têm mandados de prisão decretado pela Justiça e para que tenhamos informações que nos ajude a identificar a segunda vítima. Nós estamos fazendo algo inédito, que é passar e autorizar a imprensa a divulgar o vídeo, que tem imagens muito fortes, mas o crime organizado tem se manifestado de forma bárbara”, delegada Mirian Di Manso.

Fonte: Folha BV

(381)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

script charset="UTF-8" src="//cdn.sendpulse.com/28edd3380a1c17cf65b137fe96516659/js/push/694f057914f01ff839cc74d8f75a3baf_0.js" async>
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE