Moradores da Comunidade de Igapó -Açú retomam a confiança da BR com a comitiva da Aleam

Moradores da Comunidade de Igapó -Açú retomam a confiança da BR com a comitiva da Aleam

Muitos dos defensores da Rodovia lutaram por dias melhores, mas morrerem serem ver a pista asfaltada. Dona Mocinha, 58, proprietária de um restaurante na Comunidade Igapó Açu, no Careiro Castanho, há 37 anos, acreditava que teria o mesmo fim. Conhecida por sua indignação com a situação da Rodovia, ao conversar com os deputados, ela afirmou que a esperança renasceu.

“Eu moro aqui há 37 anos e ouço só promessas. Eu espero que Deus toque no coração deles (deputados) para que eles possam ser verdadeiros, porque já estamos cheios de promessas. Queremos a realidade, queremos ser vistos e queremos trabalho. Precisamos dessa BR para isso”, pontuou.

Dona Mocinha ressaltou ainda a importância da pavimentação da BR para que os serviços básicos, possam chegar até a população que vivem no entorno da rodovia federal. “Com a BR construída melhoraria a questão da saúde e educação, que são os primeiros passos. Nós não temos técnico de enfermagem, não temos posto de saúde, não temos colégio descente, então vindo a com a BR, essas coisas virão também”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *