Arquivo para junho 25th, 2018

” Mulher Perigosa” Ludmilla sensualiza na cama usando lingerie de grife

25 de junho de 2018 20:020 comentários
” Mulher Perigosa” Ludmilla sensualiza na cama usando lingerie de grife

Poderosa! Ludmilla deixou os fãs babando nesta segunda-feira (25) ao publicar uma foto só de calcinha e sutiã. Em uma das imagens, ela está deitada na cama. Na outra, ela está mexendo em um computador.

“Mulher perigosa”, escreveu ela em inglês na legenda. O conjunto é da grife Versace e pode ser encontrado em lojas online a partir de R$ 840.

Os fãs da funkeira não pouparam elogios. “É muito gata, além de cantar muito”, escreveu um internauta. “Que maravilhosa”, falou outro. “Abusadamente maravilhosa”, disse uma fã.

Veja também 

 

Mel Lisboa enlouquece seguidores com foto de calcinha e salto; veja

Recentemente, Ludmilla foi até Amsterdã, na Holanda, para prestigiar o show da musa Beyoncé. A cantora registrou tudo nas redes sociais e fez a alegria dos fãs.

Curtiu? Siga o PORTAL A NOTÍCIA DO AM  no Facebook e no Twitter.

 

 

Fotos: Reprodução/Instagram

Duas academias são interditadas em blitz da Visa Manaus e Conselho Regional de Educação Física

Duas academias são interditadas em blitz da Visa Manaus e Conselho Regional de Educação Física

Duas academias foram interditadas nesta segunda-feira, 25/6, durante operação de fiscalização da Vigilância Sanitária (Visa) da Prefeitura de Manaus, em parceria com o Conselho Regional de Educação Física (CREF). As interdições foram feitas pela falta de registro dos estabelecimentos e comprovação de profissional habilitado na área, junto ao Conselho.

As duas academias também foram autuadas pela Visa Manaus por falta de licença sanitária, documento obrigatório para o funcionamento regular. Ambas funcionam no bairro Cidade de Deus, zona Leste da capital.

De acordo com os fiscais, a academia Planeta Corpo teve interdição total e só poderá voltar a funcionar após regularização junto ao Conselho, o que deve ser solicitado no período de cinco dias. Além disso, o responsável deve comparecer à sede da Vigilância municipal em até 72 horas a fim de solicitar prazo para as providências relativas às exigências sanitárias.

Já a academia Sales teve interdição parcial, uma vez que, apesar de possuir registro no CREF, não comprovou a presença de profissional inscrito no órgão durante a fiscalização, podendo reabrir mediante o comparecimento do educador físico no local. O responsável pela academia também está obrigado a tomar as providências junto à Visa Manaus no prazo padrão de 72 horas.

O objetivo das blitzes, que seguem até a próxima sexta-feira, é, segundo o fiscal de Engenharia Sanitária da Visa Manaus, Ray Siqueira, atestar o funcionamento regular das academias e evitar riscos à saúde dos usuários. “Estamos verificando se as academias têm ou não licença sanitária e exigindo a adequação das que estão funcionando de forma irregular”, informou o fiscal.

Outro foco de inspeção é verificar se a academia conta com profissional de educação física regularmente habilitado. “Estabelecimentos desse tipo devem ter profissionais graduados e inscritos no Conselho, para garantir orientação adequada e evitar riscos e danos à saúde dos praticantes de exercício físico”, explicou o agente de Orientação e Fiscalização do CREF da 8ª. Região, João Carlos Granjeiro.

Itens de inspeção

No que se refere às condições sanitárias, além da licença sanitária, foram alvo de inspeção nas academias as condições dos equipamentos e da estrutura do prédio, incluindo o salão de atividades, banheiros e vestiários.

Em uma delas (Planeta Corpo) os equipamentos estavam em condições precárias e havia fiação exposta, entre outros problemas registrados pelos fiscais. “A outra (Sales) tinha equipamentos e ambiente adequados, mas com problema de infiltração em uma das paredes”, disse Ray Siqueira.

As fiscalizações da semana estão feitas em academias selecionadas pelo CREF, que, de acordo com o agente João Carlos Granjeiro, priorizou aquelas com algum tempo de atividade e ainda irregulares junto ao Conselho.

Granjeiro informa que no Amazonas existem mais de 500 academias em funcionamento regular, das quais aproximadamente 400 em Manaus. Levantamento do órgão estima entre 20 e 25 academias funcionam de forma irregular.

Prefeito de Iranduba deve fazer licitação em 30 dias para transporte coletivo, determina TCE

Prefeito de Iranduba deve fazer licitação em 30 dias para transporte coletivo, determina TCE

Uma série de irregularidades detectadas na prestação de serviço no transporte coletivo em Iranduba levaram o relator das contas do município, conselheiro Josué Filho, a determinar ao prefeito Francisco Gomes da Silva, por meio de medida cautelar, que realize em 30 dias, sob pena de multa, um procedimento licitatório para regularizar a concessão pública na cidade.

A medida cautelar atendeu a uma representação do vereador George Oliveira Reis. Por se tratar de um serviço de caráter essencial, que não pode sofrer descontinuidade, o relator decidiu não suspender o serviço prestado hoje pelas empresas contratadas, mas deu um prazo de 15 dias ao gestor para que apresentasse justificativas e ainda comunicasse sobre as providências tomadas.

Para o relator do processo, a não apresentação de cópia dos contratos de concessão requeridos pelas equipes de inspeção que estiveram no mês passado no município, do edital de licitação com projeto básico e de possíveis aditivos, além das cópias dos processos administrativos que tratam do cálculo do reajuste da tarifa de ônibus, colaboram para a hipótese levantada pelo vereador de que as empresas estariam atuando sem contratos no município.

A decisão monocrática do conselheiro Josué Filho será publicada no Diário Oficial de hoje (25/6). O prefeito Francisco Gomes da Silva deve ser notificado nas próximas horas.

No ano de 2017, o TCE suspendeu o aumento do valor da tarifa do transporte coletivo em Iranduba por causa de irregularidades e também do contrato de transporte escolar, no valor de R$ 7 milhões, também, por impropriedades apontadas pelo mesmo vereador. As decisões foram assinadas pelo então presidente do TCE, Ari Moutinho Júnior. O gestor também foi multado.

Inscrições abertas para cursos de Dança do Ventre e Fotografia

Inscrições abertas para cursos de Dança do Ventre e Fotografia

Aposentados e pensionistas já podem se inscrever para os novos cursos do segundo semestre oferecidos pela Prefeitura de Manaus. Entre eles, estão os inéditos Dança do Ventre e Noções de Fotografia, além de Espanhol, Arranjos Temáticos e Exercitando a memória. As matrículas podem ser feitas na sede da Manaus Previdência, que promove os cursos em parceria com a Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi).

 

“As novidades são frutos de pesquisa que aplicamos semestralmente com os segurados, onde percebemos a necessidade de dinamizar algumas modalidades e inserir novas, como forma de manter o interesse dos alunos na busca de novos conhecimentos”, destacou a coordenadora do Setor de Psicossocial (Psico) da Manaus Previdência, Darla Gondim.

 

Nesta segunda-feira, 25/6, os segurados tiveram uma amostra do que um estudo em grupo é capaz de fazer. O salão de atendimento da Manaus Previdência transformou-se em palco para a apresentação cultural da quadrilha junina formada por alunos da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI-UEA).

 

Parceira de algumas atividades realizadas pela previdência, a animação dos alunos da UnATI contagiou a todos os presentes, que antes receberam informações sobre o “Junho Violeta”, campanha alusiva ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado no último dia 15. A abordagem do tema ficou a cargo da investigadora da Delegacia Especializada de Crimes contra Idosos (Decci), Ariadne Carvalho.

 

Os segurados tiveram, ainda, os serviços de corte de cabelo e design de sobrancelhas; maquiagem e cuidados com a pele; aferição de pressão arterial e exposição de artesanato. Todas as atividades são realizadas em parceria com outros órgãos da Prefeitura e voluntários. Para garantir o pique, um buffet de café da manhã é servido aos segurados, que neste mês ofereceu comidas típicas da época, assim como uma barraquinha da roça.

Além dos novos cursos, os segurados também se informaram e puderam se inscrever para o Cine PipocaPrev de julho, que na edição de férias vem com a proposta de oferecer lazer para os  avós e netos. Por isso, o filme da temporada será “O bom dinossauro”, que será exibido no dia 11 de julho, a partir das 8h, com distribuição de pipoca e suco.

 

As inscrições para os cursos acontecem na autarquia – especificamente no Setor de Psicossocial -, na avenida Constantino Nery, nº 2.480 – Chapada, das 8h às 14h. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (92) 3186-8000, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

 

Programação:

 

Espanhol

Dias e horário: Terças e quintas-feiras, 8h30 às 10h30

Vagas: 30 vagas

Início: 26 de julho

 

Exercitando a memória

Dias e horário: Segundas e quartas-feiras, 8h30 às 9h30

Vagas: 30 vagas

Início: 30 de julho

 

Dança do ventre

Dias e horário: Terças e quintas-feiras, 8h30 às 10h30

Vagas: 30 vagas

Início: 2 de agosto

 

Arranjos temáticos

Dia e horário: Sextas-feiras, 8h30 às 10h30

Vagas: 20 vagas

Início: 17 de agosto

 

Noções de fotografia

Dias e horário: Terças e quintas-feiras, 8h30 às 10h30

Vagas: 20 vagas

Início: 11 de setembro

 

Cine PipocaPrev

Dia e horário: toda 2ª quarta-feira do mês, 8h às 10h

 

 

Ex-prefeito do Careiro Castanho, Hamilton Villar, é condenado a 27 anos de prisão

Ex-prefeito do Careiro Castanho, Hamilton Villar, é condenado a 27 anos de prisão

O ex-prefeito foi alvo da operação “Apagar das Luzes”, deflagrada pelo Ministério Público Estadual e Polícia Civil do Amazonas em janeiro de 2017.

A juíza titular, Sabrina Cumba Ferreira, da Comarca do Careiro (distante 102 quilômetros de Manaus) condenou o ex-prefeito do Município, Hamilton Villar a 27 anos, 7 meses e 10 dias de reclusão pelos crimes de organização criminosa, fraudes em processos licitatórios e desvio de recursos públicos.

Na mesma sentença, a magistrada condenou também outros 11 investigados – entre ex-integrantes da administração municipal e empresários – pelos mesmos crimes cometidos durante a gestão municipal entre os anos de 2013 e 2016.

Conforme denúncia do MPE nos autos, dentre os crimes praticados, registrou-se o de fraude em processos licitatórios, corrupção passiva no recebimento de valores desviados, lavagem de capitais, solicitação de pagamento e bens em benefício próprio, organização criminosa, peculato e outros.

Referente ao ex-prefeito, a denúncia menciona que este, no período de 2013 a 2016, “era o chefe da organização criminosa que atuava no desvio de recursos financeiros do Município de Careiro, tendo ciência e posição de mando nas condutas ilegais praticadas”.

A mesma denúncia apontou que o dirigente municipal “direcionava as licitações para empresas pré-selecionadas, realizando pagamentos com recursos municipais antes mesmo de realizar as licitações, sob o compromisso de receber, posteriormente, uma porcentagem dos valores destinados às empresas, em crime de corrupção passiva” e acrescenta que o acusado “chefiava a organização, que desviava recursos públicos por meio de fraudes a licitação e empresas de fachada, ou seja, o dinheiro era transferido dos cofres municipais para contas de empresas supostamente prestadoras de serviço à administração pública municipal. Que esses serviços eram parcialmente prestados ou, às vezes, nada era executado, em total prejuízo ao erário municipal”, diz os autos.

Pelos crimes praticados a juíza condenou Hamilton Alves Villar a 27 anos, 7 meses e 10 dias de reclusão (regime inicial fechado) e a 13 anos e 10 meses de detenção (em regime semiaberto).

Na sentença, a magistrada afirma que a denúncia preenche todos os requisitos previstos no art. 41 do Código do Processo Penal; que restou comprovado que muitas licitações foram apenas procedimentos de fachada no sentido de direcionar contratos a empresas determinadas visando o desvio de recursos públicos; que os fatos investigados se interligam a partir de evidências comprovadas mediante delações e que como foi grande o período de duração da organização, isso foi levado em conta na fixação da pena base para os réus.

Penas

Além do ex-prefeito, foram condenados, Aldo Alves de Alencar (ex-secretário de Finanças do Município) a 4 anos e 6 meses de reclusão e 2 anos de detenção; Altevir Alves Villar (ex-secretário de Finanças do município até 2015) foi condenado a 5 anos de reclusão e 3 anos e 4 meses de detenção; Aluísio da Silva Alves (ex-subsecretário da Secretaria de Finanças do Município e outros cargos na Administração) foi condenado a 9 anos e 6 meses de reclusão; Marcley Barbosa Fontes (ex-secretário de Saúde do Município) foi condenado a 1 ano, 1 mês e 10 dias de reclusão; Manoel Ernandes dos Santos (ex-presidente e ex-membro da Comissão de Licitação) foi condenado a 1 ano e 04 meses de reclusão e a 4 anos de detenção.

Na mesma sentença, a juíza Sabrina Cumba Ferreira condenou Adriana Lira do Nascimento (ex-membro da Comissão de Licitação do Município) a 3 anos, 6 meses de reclusão e a 10 anos de detenção; condenou José Roberto Viana Costa (empresário) a 9 anos e 6 meses de reclusão e a 6 anos de detenção; condenou Sérgio Cesar Moreno Serejo (empresário) a 5 anos e 6 meses de reclusão e a 2 anos de detenção; condenou Antonio José Oliveira Gonçalves (ex-gerente de Convênios, Projetos e Contratos do Município) a 5 anos e 10 meses de reclusão e a 8 anos de detenção; condenou Gagarim Correa de Miranda (empresário) a 7 anos e 6 meses de reclusão e a 4 anos de detenção e condenou Luiz Henrique de Oliveira Castro Villar (filho do ex-prefeito e sócio de empresa) a 7 anos e 8 meses de reclusão.

Além das penas privativas de liberdade, na sentença foi decretado perdimento de valores bloqueados no curso do processo a título de medidas cautelares assecuratórias, que reverterão para ressarcimento parcial dos prejuízos causados aos cofres públicos municipais entre os anos 2013 a 2016.

Fonte: TJAM – Raphael Alves

Lula é contra pedido de prisão domiciliar

Lula é contra pedido de prisão domiciliar

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou a aliados na sexta-feira (22) que não concorda com o pedido de prisão domiciliar defendido por parte de seus advogados. O ex-presidente defende que sua liberdade deve ser obtida apenas se for comprovada a sua inocência.

A informação foi publicada na edição da Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (25).

Lula já havia manifestado a mesma posição meses atrás. Na última sexta-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin cancelou o julgamento que ocorreria nesta terça-feira (26) em plenário do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Aliados do ex-presidente, como o deputado federal Wadih Damous, estavam confiantes depois de os mesmos magistrados que viriam a julgar Lula terem absolvido a senadora Gleisi Hoffmann da denúncia de corrupção e lavagem de dinheiro.

Defesa de Lula recorrerá contra decisão de Fachin

O advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, divulgou nota ainda na sexta-feira (22) informando que recorrerá da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu o julgamento que a Segunda Turma da Corte faria de um recurso que pedia a liberdade do petista.

“A defesa do ex-presidente Lula recorrerá das decisões proferidas hoje (22/06) e estranha que o TRF4 tenha analisado a admissibilidade do recurso extraordinário às vésperas do julgamento marcado pela presidência da 2ª Turma do STF para analisar o pedido de liberdade do ex-presidente”, diz a nota.

“A decisão do TRF4 foi proferida poucas horas após a defesa de Lula haver apresentado à vice-presidência da Corte, em audiência, memorial demonstrando a presença de todos os requisitos para a admissibilidade dos recursos especial e extraordinário interpostos em 23/04”, lê-se no texto.

// Revista Fórum

Xeque-mate da Educação – Escola utiliza xadrez como ferramenta de aprendizagem

A iniciativa do projeto partiu do professor Bruno Castro, sendo desenvolvida na Escola Estadual Gentil Belém

A iniciativa do projeto partiu do professor Bruno Castro, sendo desenvolvida na Escola Estadual Gentil Belém

Um xeque-mate da educação pode ser comemorado pela Escola Estadual Gentil Belém. Localizada no município de Parintins, a 369 quilômetros de Manaus, a unidade de ensino participou da última edição do Programa Ciência na Escola (PCE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), com um projeto que buscou faze a interação entre o ensino da matemática e o xadrez

A iniciativa do projeto partiu do professor Bruno Castro, que buscou motivação em experiência vivenciada como monitor de pesquisa há alguns anos. Na época, o projeto, que contava também com o financiamento da Fapeam, previa o uso de um software específico como ferramenta para o ensino da Matemática. “Através dessa experiência, surgiu interesse em desenvolver um projeto para estimular a busca de informações, o raciocínio lógico e o desenvolvimento de habilidades para a melhoria do aprendizado, daí, foi idealizado o ‘Xadrez, formando vencedores’”, afirmou o professor, que atualmente está lotado na Escola Estadual Brandão de Amorim, no mesmo município.

O projeto, desenvolvido durante seis meses, contou com cinco alunos bolsistas, do 6º ao 9º ano. Eles atuaram nas pesquisas bibliográficas, com levantamento de material didático sobre xadrez, organização de peças e tabuleiros e ainda realizaram palestras, na escola e em outros locais, sobre o assunto, abordando desde o contexto histórico, curiosidades, regras e jogadas, e foram os primeiros a iniciarem a prática do esporte, influenciando dezenas de outros estudantes.

A partir de situações desafiadoras colocadas no tabuleiro, os alunos foram motivados a desenvolver estratégias e definir o caminho a seguir ou mais precisamente, a melhor jogada a realizar.  Mas, para alcançar esse nível, eles antes realizaram diversas pesquisas em sites e livros especializados na modalidade. Em seguida, organizaram o material coletado, debateram as regras do jogo, aprenderam sobre posicionamento correto e movimento das peças no tabuleiro, movimentos particulares de cada peça, técnicas de abertura, finalizações rápidas, além de estratégias de ataque e defesa.

Um dos bolsistas, o aluno Aldrin Pontes conta que aceitou de imediato o convite para participar do projeto porque já tinha certa prática com a modalidade. Ele participou de todas as etapas, desde o planejamento até as apresentações dentro e fora da escola, e diz que o “Xadrez, formando vencedores”  ajudou a mudar não somente a sua vida escolar, como também a de outros alunos. O menino diz que pretende continuar jogando e que o seu sonho é representar a escola na competição de xadrez dos Jogos Escolares Estudantis. “Espero orgulhar minha escola e meu município”, disse.

 Concentração

Entretanto, os benefícios não ficaram somente no conhecimento adquirido sobre o jogo. Os alunos envolvidos aperfeiçoaram outras habilidades, entre as quais, o nível de concentração. Segundo o educador, a falta de concentração dos estudantes em sala de aula foi outro motivo que levou a idealizar o projeto, sobretudo porque esse fator pode acarretar uma reação em cadeia, levando ao desinteresse, indisciplina e problemas ainda mais graves.

Houve avanços ainda no que se refere às relações interpessoais tanto entre alunos, quanto alunos-professores e os demais profissionais de educação que atuam na unidade de ensino. “Trabalhamos valores, como respeito mútuo, e características no âmbito mais pessoal, como disciplina, controle da ansiedade e o aprender a perder e a ganhar”, frisou o coordenador do projeto, o qual esclareceu que esses aspectos foram avaliados a partir de aplicação de questionário junto aos docentes e servidores da unidade ensino.

Outra importante semente plantada pelo projeto foi a percepção de que as regras do jogo podem ser aplicadas na vida cotidiana. “O xadrez nos ensina a relacionar os movimentos com suas respectivas consequências e isso serve para a nossa vida, na medida em que  cada movimento ou algo que fazemos tem suas consequências”, analisa a aluna Amanda Oliveira.

Para o educador, cabe à escola adotar mecanismos  que possam atrair, envolver, inspirar e motivar os alunos, portanto, o “Xadrez, formando vencedores” conseguiu alcançar esse objetivo, com impacto positivo  não só na Matemática, mas também em outras disciplinas, assim como contribuiu para o aperfeiçoamento do raciocínio lógico.  “Só o fato de utilizarmos um esporte como ferramenta para o aprendizado, levando os alunos a se familiarizarem com uma prática desportiva, já foi uma conquista, porém, conseguimos obter  benefícios muito além do que se esperava”, destacou o professor, ressaltando ainda que o projeto significou “um aprendizado para a vida”.

 Sobre o Xadrez – De origem controversa, a versão mais difundida é de que o jogo teria surgido na Índia. Considerado um esporte por alguns, uma arte por outros e ainda uma verdadeira ciência por muitos, o xadrez é um jogo disputado em um tabuleiro de casas claras e escuras. Cada enxadrista (como são chamados os jogadores) devem controlar 16 peças com diferentes formatos e características, sendo que o maior objetivo é dar xeque-mate no rei adversário. A partida mais demorada de xadrez já registrada durou 24 horas e 30 minutos, tendo ocorrido em 1980.

 

Governo do Estado apoia agenda de festas em Parintins

Governo do Estado apoia agenda de festas em Parintins

A programação cultural de Parintins vai além da festa dos bumbás Caprichoso e Garantido, na arena do Bumbódromo, entre os dias 29 de junho e 1º de julho. Ela começa bem antes e serve para ratificar o talento artístico do povo parintinense.  Pensando nisso, o Governo do Amazonas, por meio da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), investiu esse ano na agenda de eventos, paralela ao Festival Folclórico de Parintins.

De acordo com a subsecretária de Turismo de Parintins, Karla Viana, essa programação de festividades começa bem cedo, ainda no mês de maio, com a escolha do cartaz oficial do Festival.  Inclui ainda a apresentação das quadrilhas e danças folclóricas, além da festa dos Bois Mirins “Mineirinho”, “Estrelinha” e “Tupi”, na Praça dos Bois, ao lado do Bumbódromo. Para fechar a agenda, entram em cena os Bois Caprichoso e Garantido na versão em marionete. “A gente pode dizer que Parintins tem Boi P, M e G”, brinca Karla Viana.

Ela fala da importância do apoio do Governo do Estado e a parceria firmada com a Prefeitura de Parintins. “Isso só vem engrandecer o que significa a cultura parintinense, a riqueza que a gente tem aqui. Sem o incentivo do Governo do Estado e a revitalização feita pela Prefeitura  para o Festival Folclórico de Parintins, isso não seria possível. Só temos que agradecer ao governo e a prefeitura por cada vez mais acreditarem na nossa cultura”, afirma Karla Viana.

Para o coordenador dos Bois Mirins, Mario Pinheiro, evento que ocorreu no domingo (24/06), na Praça dos Bois, o incentivo é importante para fortalecer a cultura parintinense. “Eu tenho certeza que se não fosse esse apoio, não haveria essa grandeza que o evento tem. A apresentação dos bois mirins é como se fosse um trampolim para esses brincantes chegarem um dia aos Bois Caprichoso e Garantido. Esse apoio só vem engrandecer a festa e a presença dessas crianças”, afirma Mario Pinheiro.

A riqueza de detalhes das apresentações dois Bois Mirins, evento que existe há 20 anos em Parintins, enche os olhos de quem acompanha. Estão lá a sinhazinha, a cunhã-poranga, o amo do boi, o pajé, a porta-estandarte e a rainha do folclore, por exemplo. Tudo na versão mirim, mas com a grandeza dos artistas parintinenses, que carregam no DNA a veia artística.

“Ficamos muito felizes de descobrir talentos e poder ajudar a realizar os sonhos das crianças de serem, um dia, itens oficiais dos bumbás Garantido e Caprichoso. Sempre procuramos fazer o melhor para ver essas crianças felizes. Elas já têm esse dom artístico nato, na brincadeira dos bois mirins a gente procura apenas aprimorar esses dons”, explica a coordenadora do Boi Mirim Tupi, Sebastiana Duarte.

Cidades brasileiras apagam as luzes hoje (25) em ação contra o aquecimento global

Cidades brasileiras apagam as luzes hoje (25) em ação contra o aquecimento global

Mais de 100 cidades brasileiras aderiram este ano, à mobilização da Hora do Planeta para incentivar a reflexão sobre como enfrentar o aquecimento global, e preservar o meio ambiente, um projeto que convoca pessoas, empresas e entidades públicas a apagarem as luzes durante uma hora hoje (25), das 20h30 às 21h30.
Criado em 2007 na capital australiana, Sydney, pela organização não governamental WWF, a iniciativa está presente em mais de 7 mil cidades. No Brasil, a ação ocorre desde 2009. Alguns eventos pontuais vão marcar a data, como um passeio ciclístico em Brasília pouco antes do apagar das luzes de monumentos como o Congresso Nacional, o Museu da República e a Catedral Metropolitana.

Segundo o diretor executivo do WWF-Brasil, Maurício Voivodic, as ações deste ano priorizaram o engajamento digital. “Fizemos vídeos que foram divulgados nas redes sociais, com pessoas comuns sobre o que ainda não conseguiram fazer para melhorar o planeta e o que o podem fazer para contribuir. É um convite à reflexão” disse.

Além da conscientização individual, a campanha também busca despertar a população para o problema do consumismo. “O atual padrão de consumo também é uma questão abordada nas nossas ações. O consumismo é um tremendo problema para a sociedade e para o planeta, gerando desperdício”, alertou Voivodic. “Nestes dez anos, o balanço é muito positivo, tem tocado as pessoas e hoje é a maior campanha ambiental do mundo, é um momento para parar e pensar como podemos cuidar melhor do nosso planeta”, completou.

No site da Hora do Planeta é possível acessar material com dicas do que cada um pode fazer para participar da campanha.

O WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país desde 1996 e integra a Rede WWF, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Mutirão de limpeza

Voluntários participam neste sábado do 1º Mutirão de Limpeza (Clean Up), na Praia de Copacabana, como parte das atividades da Hora do Planeta.

O projeto Clean Up é realizado pelo WWF-Brasil, em parceria com o Instituto Mar Adentro,. A coordenadora dos Programas Mata Atlântica e Marinho da ONG, Anna Carolina Lobo, disse à Agência Brasil que o objetivo da ação é despertar a atenção das pessoas para o impacto do que é consumido no dia a dia, nesse momento importante em que o planeta enfrenta mudanças climáticas. “A situação dos oceanos e, especificamente, o lixo plástico nos oceanos, é gravíssima. É muito mais do que a gente imagina”.

Segundo Anna Carolina, 95% dos resíduos plásticos são descartados no seu primeiro uso. “Só que 80% do lixo plástico que chegam aos oceanos vão por meio dos rios. Em muitos processos de tratamento de reciclagem, o microplástico está presente em tudo: na calça jeans, em cosméticos, além de sacolas biodegradáveis. Esses processos de tratamento não conseguem acabar com o microplástico”, disse. Ela destacou que esses resíduos acabam chegando aos oceanos e sendo comidos por aves, peixes e cetáceos.

A coordenadora ressaltou que a isso se soma o impacto das mudanças climáticas nos oceanos. Ela citou estudo que mostra que, até 2030, 90% dos corais do mundo perderão a cor. “Isso é gravíssimo, porque os corais do mundo são a base, o sustento da vida marinha. Está tudo relacionado. Na natureza, tudo tem uma grande relação e os oceanos, no final, estão sofrendo muitíssimo com a nossa ação humana de consumo, como descartamos, o impacto das mudanças climáticas.”

De acordo com Anna Carolina, o mutirão de limpeza da Praia de Copacabana quer chamar a atenção para toda essa problemática e conscientizar as pessoas do quanto elas também são responsáveis por trazer a solução. Os voluntários vão recolher lixo da praia e conversarão também com o público, contribuindo para a educação ambiental.

Agência Brasil

Em sessão na Câmara, Bolsonaro elogiou grupos de extermínio: “Meus parabéns”

Em sessão na Câmara, Bolsonaro elogiou grupos de extermínio: “Meus parabéns”

O pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), usou a tribuna da Câmara dos Deputados para elogiar a atuação de grupos de extermínios. A declaração foi feita em 2003, mas veio à tona neste domingo (24), em reportagem da Folha de S. Paulo.

A Folha traz o áudio da declaração do parlamentar, feita em 2003. Bolsonaro disse que os grupos de extermínio são “muito bem-vindos” ao ocupar um vácuo gerado pela ausência da pena de morte no país.

Ele disse ainda que a atuação dos grupos de criminosos que cometem assassinatos sem nenhuma base legal é um caminho para o combate à violência.

“Desde que a política de Direitos Humanos chegou em nosso país, cresceu, se avolumou e passou a ocupar grande espaço nos jornais, a violência só aumentou. A marginalidade, cada vez mais, tem se visto mais à vontade, tendo em vista esses neoadvogados para defendê-los”, afirma o político no áudio.



“Dizer aos companheiros da Bahia que, agora há pouco veio um parlamentar criticar os grupos de extermínio, enquanto o Estado não tiver coragem para adotar a pena de morte, esses grupos de extermínio, no meu entender, são muito bem-vindos. Se não tiver espaço na Bahia, pode ir para o Rio de Janeiro”, continua Bolsonaro.

“Se depender de mim, terão todo o apoio. No Rio de Janeiro, só as pessoas de bem são dizimadas. Na Bahia, as informações que eu tenho, lógico, são grupos ilegais, mas, meus parabéns, a marginalidade tem decrescido”, finaliza. Ouça abaixo:

Um mês depois da fala de Bolsonaro, um mecânico foi assassinado na Bahia. Gérson Jesus Bispo acusava policiais militares de assassinar o irmão e um amigo. Uma CPI foi instalada no mesmo ano para investigar a atuação dos esquadrões da morte no Nordeste.

De acordo com as investigações, os grupos são constituídos em sua maioria por policiais, ex-policiais, seguranças privados, integrantes de organizações criminosas vinculadas ao tráfico de drogas e outras atividades lícitas e “grupos que não guardam relações específicas com o crime organizado, mas exercem o controle de determinadas regiões com a desculpa de garantir a ‘segurança’ de seus moradores”, divulga a Revista Fórum.

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro sofreu, durantes os primeiros anos do século XXI, um dos maiores períodos de expansão da milícia, inicialmente conhecida como “polícia mineira”. Segundo a Fórum, o modus operandi seria o mesmo dos grupos de extermínio da Bahia: atira primeiro e pergunta depois.

Os assassinatos em nome do combate à violência ganharam apoio da classe médiacarioca e declarações positivas de políticos como os ex-prefeitos Cesar Maia e Eduardo Paes.

Enquanto isso, ainda de acordo com a Fórum, os moradores das comunidades sob a ação de milicianos seriam acharcados com a cobrança ilegal de gás, internet e TV a cabo. Comerciantes teriam sido obrigados a pagar uma taxa mensal “para a segurança da região”.

Em 2007, as milícias ocupavam 92 das 300 favelas cariocas. Um caso dramático ganhou destaque mundial: uma jornalista e um fotógrafo do jornal O Dia que passaram alguns dias na Favela do Batan, na Zona Oeste da Cidade, foram descobertos pelos milicianos e torturados.

Em 2008, uma investigação da Polícia Federal (PF) apontou a ligação entre Álvaro Lins, ex-chefe da Polícia Civil dos governos de Anthony Garotinho e Rosinha, com milícias do estado.

Segundo dados da Secretaria de Segurança, as milícias, em 2018, ocupam no Rio mais favelas do que o tráfico e passaram também a atuar no comércio de entorpecentes. As guerras pelo controle da venda de drogas entre traficantes e milicianos levam pânico, principalmente nas zonas norte e oeste da cidade.

A Folha procurou Bolsonaro para saber se, 15 anos depois, sua opinião permanece a mesma, mas ele não retornou o contato do jornal. E pode ser difícil termos acesso a essa informação, uma vez que o candidato resolveu se ausentar dos debates políticos este ano.

Ciberia // Revista Fórum

Argentina começa a semana com greve geral

Argentina começa a semana com greve geral

A Argentina enfrenta nesta segunda-feira (25) uma greve geral, a terceira desde a posse do presidente Maurício Macri, há dois anos e meio.

A paralização, para exigir uma mudança na politica econômica, foi convocada pela a Confederação Geral do Trabalho (CGT).

Os principais sindicatos argentinos são contra o acordo, aprovado há cinco dias, pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

A instituição financeira colocou US$ 50 bilhões a disposição da Argentina, para ajudar o pais a enfrentar a crise cambial. Em troca, o governo de Macri prometeu reduzir os gastos públicos e a inflação, que este ano deve chegar a quase 30%.

Os líderes sindicais pedem aumentos salariais para fazer frente ao custo de vida, que em 2017 foi de 25% e garantias de que não haverá demissões.

A greve ocorre as vésperas do jogo da Argentina contra a Nigéria, na terça-feira (26). Se perder, a seleção argentina ficará fora da Copa do Mundo.

Foragido é recapturado, dois são presos com arma de fogo e três motocicletas são apreendidas em operação Cavalo de Aço

Foragido é recapturado, dois são presos com arma de fogo e três motocicletas são apreendidas em operação Cavalo de Aço

Foto: Divulgação Policia Civil

Dois homens foram presos em um carro, com uma arma de fogo, após suspeitas de realizar arrastões na zona leste de Manaus, e um foragido do regime semiaberto foi recapturado em mais uma fase da operação “Cavalo de Aço”, deflagrada na noite deste sábado (23/06) em todas as regiões da capital. Outras três pessoas foram detidas por suspeita de prática de roubos. Os suspeitos foram identificados, prestaram esclarecimentos nas delegacias, e foram liberados.

A operação integrada Cavalo de Aço foi comandada pelo secretário de Segurança, coronel da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) Anézio Paiva, e envolveu policiais civis e militares, e agentes do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) e da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop). Mais de 1 mil pessoas foram abordadas nas barreiras de fiscalizações. Além disso, 157 carros, 241 motos, 38 mototáxis, 17 táxis foram abordados e cinco bares da capital foram fiscalizados.

No bairro Novo Aleixo, zona norte, os policiais prenderam Railson Ferreira dos Santos, em flagrante, por porte ilegal de arma de fogo, e Cristiano Cavalcante da Costa, que tinha um mandado em aberto por roubo. Uma mulher, que estava com os dois, foi liberada uma vez que não houve registro de furtos e roubos que pudessem incriminá-la, até o momento. “Nós recebemos a informação de que três pessoas em um carro Citroen estariam cometendo roubos no bairro Coroado (zona leste de Manaus). Nós identificamos o veículo em atitude suspeita e chegamos ao trio”, explicou o comandante do Comandante de Policiamento de Área (CPA) Sul, tenente-coronel César Andrade.

O caso foi encaminhado ao 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Flores, zona centro-sul, que funciona como Central de Flagrante da área. Railson estava na parte de trás do carro, com o revólver calibre 38. Ele foi preso em flagrante por porte ilegal de arma. “A Cavalo de Aço reúne várias ações entre as forças policiais. Todas as zonas da cidade receberam o policiamento ostensivo, com militares de todos os Comandos de Policiamento de Áreas (CPAs), e com o efetivo da Polícia Civil, de todos os 30 Distritos Integrados de Polícia (DIPs), fazendo barreiras policiais, incursões em eventos juninos. Tudo para garantir a tranquilidade e segurança dos brincantes”, disse o secretário de segurança.

Coordenados pelo Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), 70 policiais civis e 20 viaturas foram destacados para a missão. “Nós estivemos em todas as zonas da cidade, com as barreiras policiais e fazendo o trabalho de polícia judiciária, lavrando flagrantes e também orientando a população”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, Mariolino Brito.

Ocorrências – No Beco Prosperidade, no bairro da Compensa, zona oeste, Elias Junio Feitosa Ramos, de 26 anos de idade, foragido do regime semiaberto, foi preso durante a abordagem policial realizada pela equipe do delegado Guilherme Torres. Ele foi condenado em abril de 2017 por roubo a mão armada a cinco anos e quatro meses de prisão em regime semiaberto e estava foragido desde então.

Na zona leste, três motocicletas, sendo duas na barreira montada na rua Circular 2, foram apreendidas por estarem com documentação irregular. “Em dois casos, a documentação está irregular, falta de pagamento do licenciamento. Já a terceira motocicleta, o condutor sequer apresentou a documentação do veículo e a habilitação”, explicou o Coronel Wirlley Abdala, comandante do Policiamento Metropolitano da PM.

Operação chega a Parintins 

A Polícia Civil do Amazonas deflagrou na noite de sábado (23/06), no município de Parintins, distante 369 quilômetros em linha reta da capital, a operação “Cavalo de Aço”, que teve como objetivo coibir práticas criminosas, além de proporcionar mais segurança a população daquele município.

Durante os trabalhos, bares foram fiscalizados e  cerca de 800 clientes dos estabelecimentos comerciais foram abordados. Duas motocicletas  foram apreendidas com restrições de roubo, um simulacro de arma de fogo, além de uma arma branca foram apreendidos. Coordenada pelo delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Antonio Chicre Neto, a ação iniciou por volta das 21h, e seguiu até a madrugada deste domingo (24/06).

Ao longo da operação “Cavalo de Aço” em Parintins, as equipes percorreram bares e casas de shows situados nos bairros Centro, União, Paulo Correa, Castanhal, Francesa, além da primeira e segunda etapas do bairro Itaúna. Veículos também foram alvos de fiscalização pelos policiais civis. Um homem, que estava portando um simulacro de arma de fogo, foi conduzido à Delegacia Interativa de Polícia (DIP) para prestar esclarecimentos. A ação é parte do trabalho de policiamento para o Festival Folclórico de Parintins.

PF realiza megaoperação contra tráfico internacional de drogas

PF realiza megaoperação contra tráfico internacional de drogas

Policiais federais cumprem, desde as primeiras horas da manhã de hoje (25), 230 mandados judiciais expedidos contra suspeitos de integrar um esquema de tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Batizada de Laços de Família, a operação é realizada em cinco estados (Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás e Rio Grande do Norte) e conta com a participação de cerca de 211 agentes federais.

A pedido da Polícia Federal, a 3ª Vara Federal de Campo Grande (MS) concedeu 20 mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária, 35 de busca e apreensão em residências e empresas e 136 mandados de sequestro de veículos terrestres. A Justiça também autorizou o sequestro de 25 imóveis, sete helicópteros e cinco embarcações de luxo. Além disso, também foi decretado o sequestro geral de todos os bens de 38 investigados, em todo o território nacional, inclusive em nome de suas empresas de fachada.

Em nota, a PF informou que os investigados atuavam a partir da fronteira do Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Segundo as investigações preliminares, a organização era comandada por integrantes de uma única família e tinha “estreita ligação” com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Ainda de acordo com a PF, a organização alvo da operação deflagrada hoje distribuía grandes quantidades de droga para várias regiões brasileiras. O produto ilícito era transportado escondido em caminhões e carretas, misturado a cargas legais. Em contrapartida, os membros da organização recebiam joias, veículos de luxo e dinheiro que era depositado em contas bancárias abertas em nome de laranjas e de empresas de fachada. As joias e o dinheiro usados como pagamento costumavam ser transportado nos helicópteros alvos dos mandados de apreensão.

A PF afirma ter apreendido, ainda durante as investigações, mais de R$ 317 mil em dinheiro, joias, duas pistolas, 27 toneladas de maconha, duas caminhonetes e 11 veículos de transporte de carga.

Seis pessoas foram detidas em flagrante, acusadas de integrar o esquema criminoso. Se confirmados os crimes, todos os acusados poderão ser condenados a penas que podem chegar a 35 anos de prisão.

Inscrições para o Programa Jovem Senador 2018 estão disponíveis até agosto

Inscrições para o Programa Jovem Senador 2018 estão disponíveis até agosto

Serão selecionados 27 estudantes para representar seus respectivos estados em Brasília

O Programa Jovem Senador 2018 está com inscrições abertas até o dia 17 de agosto. Estudantes do Ensino Médio com até 19 anos e regularmente matriculados nas escolas públicas de todo o Brasil poderão participar do programa. A proposta é a reflexão sobre política, democracia e exercício da cidadania.

De acordo com o regulamento do programa, neste ano, os estudantes deverão produzir uma redação com o tema “A Constituição Cidadã 30 anos depois”.

Os alunos autores das redações classificadas em primeiro lugar em cada um dos Estados e no Distrito Federal no concurso nacional de redação são selecionados para tomarem posse e atuarem como jovens senadores, durante uma semana, em Brasília, representando sua respectiva unidade da Federação.

Para participar, os estudantes devem estar matriculados em escola pública estadual, ou do Distrito Federal, de Ensino Médio, em uma das seguintes modalidades: regular, ensino técnico na modalidade integrada ou Educação de Jovens e Adultos (EJA); ter, no máximo, 19 anos completos até o dia 31 de dezembro de 2018; e ter disponibilidade para participar da fase presencial do Jovem Senador, em Brasília, no período de 19 a 24 de novembro de 2018.

Inscrições

Serão selecionados, em processo de três etapas, 27 vencedores, um por unidade da Federação. A primeira etapa será caracterizada pela seleção e inscrição do aluno pela escola. Cada unidade de ensino participante deve selecionar uma redação para representá-la e a encaminha à Secretaria de Educação do seu Estado.

O regulamento completo do programa está disponível no site: https://www12.senado.leg.br/jovemsenador.

A segunda etapa será marcada pela seleção nos estados. Cada Secretaria de Educação seleciona três redações, sem classificá-las, e as encaminha ao Senado Federal, com a documentação completa.

Na terceira etapa, acontecerá a seleção e classificação nacional no Senado Federal. A comissão julgadora do Senado Federal avaliará e julgará as 81 redações finalistas e selecionará as 27 vencedoras, classificando o primeiro, o segundo e o terceiro lugar nacional.

 

Critérios de avaliação

A redação deverá ter entre 20 e 30 linhas, manuscrita em Língua Portuguesa, com caneta esferográfica azul ou preta, no papel timbrado do Senado Federal especialmente desenvolvido para o concurso. Deverá ser redigida pelo próprio aluno, à exceção daqueles que necessitem de atendimento diferenciado e específico.

Além disso, a redação deverá conter os seguintes critérios: deverá conter título que retrate a mensagem principal do texto; deverá abordar o tema proposto no regulamento; a apresentação textual será avaliada, observados a legibilidade, o respeito às margens e a indicação de parágrafos; o texto deverá ser inédito, não podendo ter sido publicado em quaisquer mídias ou inscrito em concursos anteriores.

As 27 redações vencedoras, com a classificação dos três primeiros lugares em nível nacional, serão divulgadas até 11 de outubro de 2018.

 

Cronograma

Data Atividade
Até 17 de agosto Inscrição: prazo final para envio das redações escolhidas pelas escolas à Secretaria de Educação de sua unidade da Federação.
Até 14 de setembro Prazo final para a Secretaria de Educação enviar ao Senado as três redações escolhidas.
 

Até 11 de outubro

 

Divulgação do resultado do Jovem Senador 2018.

Novo Airão e Anamã têm eleições suplementares estimadas em R$ 200 mil

Novo Airão e Anamã têm eleições suplementares estimadas em R$ 200 mil

Aproximadamente R$ 200 mil devem ser gastos nas eleições suplementares dos municípios de Anamã, a 165 km de Manaus e de Novo Airão, distante a 115 km da capital.

Ainda não há data prevista para realização do pleito nos municípios, onde os candidatos eleitos tiveram registros de candidatura indeferidos e novas eleições municipais determinadas pela Justiça Eleitoral.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), as eleições suplementares em ambos os municípios deveriam ser realizadas até o domingo (24), mas o TRE-AM submeteu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a proposta para realização em data posterior.

No dia 21 de maio, o TRE enviou um ofício ao TSE solicitando a realização da eleição suplementar no município de Anamã junto ou após às Eleições Gerais de 2018. O pedido aguarda decisão da Presidência do TSE, segundo a assessoria do órgão.

No dia 12 de junho, o TRE encaminhou um ofício ao TSE solicitando o o adiamento do pleito suplementar de Novo Airão. Cabe agora, a data ser definida pela órgão em Brasília.

Investimento
Cada município deve receber R$ 100 mil para investir no pleito suplementar. De acordo com o TRE, em Anamã há 22 seções, com 22 urnas. Haverá mais 10% de urnas de reserva, caso necessite de alguma substituição. Já em Novo Airão são 32 seções, com 32 urnas, além de 10% de urnas de reserva.

Por que novas eleições ?
De acordo com o TRE-AM, os prefeitos eleitos tiveram registros de candidaturas indeferidos por irregularidades barradas com na base na Lei da Ficha Limpa.

O prefeito de Anamã Raimundo Pinheiro da Silva, o Raimundo Chicó (PMDB), foi condenado pela prática de abuso de poder econômico reconhecida em Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME). A condenação o deixa inelegível por oito anos.

Wilton Pereira dos Santos (PSDB), que foi eleito prefeito de Novo Airão, foi condenado pela Justiça Federal por improbidade administrativa em 2011 em irregularidades de aplicação de recursos federais. O registro de candidatura de Wilton Pereira foi barrado com base na Lei da Ficha Limpa e Lei Complementar nº 64/1990.

G1

TEXTO

%d blogueiros gostam disto: