Arquivo para outubro 7th, 2018

Drª. Mayara com mais de 50 mil votos é a campeã do pleito de 2018 – Confira Lista dos Deputados Eleitos

7 de outubro de 2018 21:320 comentários
Drª. Mayara com mais de 50 mil votos é a campeã do pleito de 2018 – Confira Lista dos Deputados Eleitos

A Assembleia Legislativa do Estado terá uma renovação de 50% em sua próxima legislatura em 2019. Com quase 100% dos votos apurados, 12 dos 24 deputados estarão estreando na Casa Legislativa, entre os novatos está a médica dermatologista Mayara Pinheiro (PP) que com mais de 50 mil votos entra para história do Amazonas como a mulher mais votada para o cargo de deputada estadual.

Após o anúncio de sua vitória a deputada eleita seguiu para o bairro Zumbi, Zona Leste de Manaus, onde discursou em agradecimento pela vitória histórica. Durante o pronunciamento, Dra Mayara se comprometeu em lutar pelo povo que depositou nela a esperança de um futuro melhor.

“Estou muito emocionada com toda essa confiança que o povo do meu Amazonas depositou nas minhas propostas. Agora começa um novo tempo, os mais humildes tem sim voz dentro da Assembleia Legislativa, eu vou lutar e essa verdade das propostas que levamos a cada comunidade será defendida”, explicou a deputada.

Confira a lista dos deputados eleitos

Mayara Pinheiro (PP)

Roberto Cidade (PV)

Dermilson Chagas (PP)*

Delegado Péricles (PSL)

Ricardo Nicolau (PSD)*

Belarmino Lins (PP)*

Augusto Ferraz (DEM)*

Wilker Barreto (PHS)

Saullo Vianna (PPS)

Cabo Maciel (PR)*

Josué Neto (PSD)*

Joana Darc Protetora dos Animais (PR)

João Luiz (PRB)

Serafim Corrêa (PSB)*

Alessandra Campelo (MDB)*

Sinésio Campos (PT)*

Adjuto Afonso (PDT)*

Doutor Gomes (PRP)*

Fausto Júnior (PV)

Abdala Fraxe (Podemos)*

Therezinha Ruiz (PSDB)

Felipe Souza (PHS)

Carlinhos Bessa (PV)

Álvaro Campelo (PP)

Os marcados com asterisco são os reeleitos

Eduardo Braga (MDB) e Plínio Valério (PSDB) são eleitos senadores pelo Amazonas

Eduardo Braga (MDB) e Plínio Valério (PSDB) são eleitos senadores pelo Amazonas

Eduardo Braga (MDB) e Plínio Valério (PSDB) foram eleitos neste domingo (7) senadores pelo Amazonas o para os próximos oito anos. Com 98% dos votos válidos apurados até por volta das 20h09 Braga tinha 586.392 votos, o que correspondia a 18,18% dos votos válidos, e Valério tinha 25,61% de 825.900.

O candidato Luiz Castro (REDE) ficou em terceiro lugar, com 577.452 dos votos válidos, seguido de Alfredo Nascimento (PR), com 550.963 votos.

Natural do Pará, Eduardo Braga é formado em engenharia. Já foi deputado federal e assumiu o Governo do Amazonas de 2003 até 2010. Desde então, cumpre mandato no Senado Federal. Em 2014, se candidatou ao governo, mas foi derrotado por José Melo, cassado por compra de votos dois anos depois. Uma eleição suplementar para mandato tampão foi realizada, em 2017, onde Braga foi derrotado, desta vez por Amazonino Mendes.

Natural da cidade amazonense de Eirunepé, Plínio Valério foi eleito vereador no ano de 2012 em Manaus. Em 2013, assumiu como suplente durante oito meses o cargo de deputado federal, quando foi membro da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia. Atualmente, ele estava sem mandato político.

Mandato

Neste ano o eleitor escolheu dois candidatos ao Senado porque o mandato é de oito anos, mas as eleições ocorrem de quatro em quatro anos. Assim, a cada eleição, a Casa renova, alternadamente, um terço e dois terços de suas 81 cadeiras. Neste ano, 54 vagas estavam em disputa no país.

Quem concorreu

  1. Plinio Valerio PSDB
  2. Luiz Castro REDE
  3. Alfredo Nascimento PR
  4. Eduardo Braga MDB
  5. Vanessa PC do B
  6. Hissa Abrahão PDT
  7. Luiz Fernando Santos PSOL
  8. Rondinely Fonseca PSOL

Bolsonaro e Haddad se enfrentarão no segundo turno

Bolsonaro e Haddad se enfrentarão no segundo turno

deputado fluminense Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) se enfrentarão no segundo turno da eleição para presidente, no próximo dia 28, projeta Datafolha.

A onda de apoios que impulsionou Bolsonaro, 63, na última semana antes do primeiro turno espraiou-se, mas não foi suficiente para finalizar o jogo neste domingo (7). Ele tem 47,35% dos votos válidos, com 87,91% das urnas apuradas. Uma série de candidatos associados a seu nome nos estados teve desempenho superior ao que as pesquisas indicavam.

Já Haddad, 55, amealhou até agora 27,55% dos votos válidos, conquistando endosso significativo na região Nordeste, berço do homem que o colocou na corrida, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Será o sexto segundo turno em oito eleições presidenciais desde a redemocratização de 1985.

Se de 1994 a 2014 o que estava em jogo era avalizar ou rejeitar a gestão anterior, agora tanto Bolsonaro como Haddad são opositores ferrenhos da agônica e impopular Presidência de Michel Temer (MDB). O segundo turno, porém, vai se dar entre os dois candidatos de maior rejeição pelo eleitorado.

O deputado conseguiu associar-se à figura da novidade na política, mesmo sendo congressista desde 1991, e ganhou para si o rótulo de combatente principal contra o PT. Promete “quebrar o sistema”, sem dizer exatamente como o fará, apoiando-se na rejeição da política tradicional -algo que vai além de Lula, mas o inclui.

Já o ex-prefeito apresenta-se como um redentor de políticas de seu partido durante a era Lula, buscando esquivar-se do desastre econômico legado por Dilma Rousseff (PT), impedida e substituída por seu vice, Temer, em 2016.

Essa particularidade explica o fiasco experimentado pelo PSDB nessa eleição. O partido apoiou o impeachment e aliou-se a Temer até o ano passado, mesmo contra a vontade de seu candidato, o ex-governador paulista Geraldo Alckmin.

De porta-estandarte do combate à corrupção protagonizada pelo PT, simbolizado pela Operação Lava Jato, a sigla viu o seu quase vencedor de 2014, Aécio Neves, ser envolvido em investigações policiais.

O papel de bastião do antipetismo foi conquistado por Bolsonaro. Com tudo isso, Alckmin teve o pior desempenho da história do partido em eleições presidenciais, com 4,94% dos válidos até agora.

O ex-governador cearense Ciro Gomes (PDT) provou resiliência ao longo da corrida, mas a prevalência do PT e de Bolsonaro no seu reduto, o Nordeste, limitaram sua capacidade de ultrapassar Haddad como nome da esquerda -apesar de simulações de segundo turno o colocarem em posição mais confortável que a do petista. Tem 12,46% dos válidos até agora.

O voto mudancista vencedor neste domingo já foi representado em algum momento por Marina Silva, mas a candidata da Rede teve sua pior derrota nos três pleitos que disputou: mero 1% dos válidos. Foi ultrapassada por um neófito, João Amoêdo (Novo), com 2,68%, e por Cabo Daciolo, com 1,22%.

Henrique Meirelles (MDB), badalado ex-ministro da Fazenda, não teve como tirar a bola de chumbo representada por Temer de seu pé e amargou um sexto lugar, com 1,22%. Alvaro Dias (Podemos), que fez da defesa da Lava Jato sua bandeira, conquistou somente 0,86%.

O círculo eleitoral brasileiro, de certa forma, traz o país de novo a 1989. Lula, inelegível por ter sido condenado em segunda instância por corrupção, lançou Haddad como seu preposto após esticar até onde pôde a corda de sua candidatura na Justiça.

Se Haddad é um ator tradicional, apesar de ter sido um prefeito mal avaliado e derrotado em primeiro turno em 2016, Bolsonaro representa o surpreendente nessa campanha.

Ele coleciona polêmicas que lhe valem as pechas de fascista e radical, sendo réu por incitação ao estupro e um apologista da ditadura militar (1964-85). Seu ídolo político é o único torturador do período reconhecido assim pela Justiça, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, morto em 2015.

Nada disso impediu que sua campanha baseada em uso intensivo de redes sociais e grupos de mensagens instantâneas, a partir de 2015, o tornasse impenetrável a críticas dos apoiadores. Sem estrutura partidária ou tempo significativo de propaganda gratuita, virou fenômeno.

Cercou-se de colaboradores oriundos do Exército e de setores conservadores e admite sua ignorância sobre assuntos econômicos. Para tanto, escalou um economista ultraliberal, Paulo Guedes, para ser seu fiador junto aos mercados –mesmo com desconfianças, foi bem-sucedido dada a alergia que o mundo financeiro tem do PT.

Por fim, ou talvez para começar, houve o atentado de 6 de setembro. Ferido gravemente por uma facada no abdômen, Bolsonaro deixou fisicamente a campanha até o fim. Isso desorganizou a estratégia dos adversários de atacá-lo, embora seja incerto se isso se reverteria em apoio a nomes como Alckmin.

Bolsonaro só foi visto em parcas entrevistas e vídeos gravados para a internet, evitando a exposição ao contraditório em debates –só participou de dois.

Agora, terá tempo de exposição igual na propaganda gratuita e deverá enfrentar embates diretos com Haddad. A sabedoria convencional diria que será o tira-teima para a estratégia inusual de Bolsonaro, mas ela não foi boa conselheira até aqui neste 2018. Com informações da Folhapress.

Delegado Pablo Oliva é o 2º mais votado para Deputado Federal no AM

Delegado Pablo Oliva é o 2º mais votado para Deputado Federal no AM

O candidato a deputado federal, Pablo Oliva (PSL), que também atuou como delgado na Operação Maus Caminhos, apurando desvios de verba e fraudes na Saúde do Amazonas conseguiu se eleger neste domingo (7).

Com 97% de urnas apuradas ele atingiu o segundo lugar na votação, cerca de 8,77% referente a 149.816 votos. O delegado teve uma votação expressiva no pleito.

Pablo Oliva é o único candidato a deputado federal do Amazonas apoiado pelo presidenciável, Jair Bolsonaro (PSL).

Wilson Lima e Amazonino Mendes estão no 2º turno no Amazonas

Wilson Lima e Amazonino Mendes estão no 2º turno no Amazonas

Os candidatos Wilson Lima (PSL) com 33,09% e Amazonino Mendes (PDT) 32,51% dos votos válidos, vão disputar o segundo turno das eleições no Amazonas. Empate técnico, para o segundo turno.

O governador e candidato a reeleição, Amazonino Mendes não conseguiu convencer o eleitor e por pouco não fiou fora do pleito. Wilson Lima em coletiva após a confirmação da vitória agradeceu a Deus, ao seu Vice Carlos Almeida e garantiu que vai continuar a fazer uma campanha limpa.

Wilson Lima comentou sobre a responsabilidade que a população transferiu para ele, em forma de voto. Atacou a velha política, a corrupção, mas destacou que foi através da sua experiência como apresentador de TV, que pode chegar ao povo ao povo dos bairros e descobrir as suas necessidades. Já falando como se fosse o governador eleito, Wilson disse que “agora o Amazonas vai escrever uma nova história”.

Sobre o discurso do novo na política do Estado, Wilson destacou que “o cidadão quer o novo” e, quando entrou para a disputa, trabalhou com esse propósito. Defendeu a forma de fazer uma campanha limpa, e vai continuar assim. Campanha da transparência e caminhando do lado do povo.

Amazonino

Em sua coletiva de imprensa, Amazonino Mendes disse que esse primeiro turno foi uma eleição extraordinária, diferente, mas que é agora que a luta vai começar.

Temos o dever de apresentar as propostas concretas para o Amazonas. “O segundo turno é completamente diferente, é outra eleição, sem euforia”, destacou.

Amazonino disse que viu o resultado da apuração e percebeu que a diferença é de pouco mais de 1,6%. “Isso não é nada, vamos tirar a diferença e passar à frente”, previu.

Continuando, Amazonino disse que ele tem uma história de luta pelo Amazonas, ideias e é no campos da ideias que deve fazer o seu mote de campanha nesse segundo turno e, voltou a falar que ele é o mais preparado para governar o Amazonas. Ao colocar em cheque a pouca experiência de Wilson Lima.

Sidney Leite conquista vaga de virada para Deputado Federal do Amazonas

Sidney Leite conquista vaga de virada para Deputado Federal do Amazonas

Com uma campanha pautada em propostas de relevância para a população amazonense, além de representar a renovação da bancada amazonense na Câmara Federal, o deputado estadual Sidney Leite (PSD) conquistou o cargo de Deputado Federal com 76.925 mil votos (4,38%), representado 99% dos votos de urnas apuradas, ocupando vaga da coligação “Amazonas com Segurança”. A concorrente mais próxima era a deputada federal Conceição Sampaio que ficou com 4,32% dos votos.
Saúde, educação, moradia, segurança e geração de emprego e renda foram bases para a campanha do parlamentar.

Campanha árdua, inovadora e comprometida com a região amazônica, seja com o jovem, com o trabalhador, com a mulher, com o homem do interior e com o idoso, Sidney Leite agradece todos os votos que recebeu e declara que o povo do Estado ainda se orgulhará mais dele.

“Foi uma campanha desafiadora, sem dinheiro e com a única certeza que o povo do Amazonas quer mais trabalho, mais afinco, mais propostas que devem ser feitas e não apenas prometidas. Então, estou pronto para essa batalha em Brasília”, afirmou o novo Deputado Federal.

As propostas de Sidney trarão melhorias no setor da saúde, com a luta pela interiorização do sistema e, assim, implantando uma nova gestão para o setor. Na Educação, ele reitera a luta pela universalização do ensino médio e básico, transformando 50% das escolas públicas em escolas de tempo integral, assim como a criação da Universidade do Alto Solimões, que levará oportunidade de ensino ao jovem do interior. Há ainda entre suas bandeiras o aumento do Fundeb em 20%.

Na geração de emprego e renda, Sidney se compromete em ajudar na implantação de um Centro de Produção Tecnológica, para oferecer outra fonte de trabalho para o Amazonas. Na moradia, o parlamentar pretende buscar recursos para construção de casas no interior do Amazonas, compatíveis com a realidade da região. E, na segurança, Sidney Leite defendeu o combate a criminalidade e ao narcotráfico, através do reforço dos homens do exército e da Polícia Federal, nas cidades que fazem fronteira com o Peru, Bolívia e Colômbia, por onde entra a droga no Brasil.
Dessa forma, Sidney Leite reafirma seu compromisso de lutar pelas causas da região, com o mesmo afinco que o consagrou três vezes prefeito do Município de Maués e duas vezes deputado estadual.

Manaus amanhece encoberta por nuvem de fumaça de constantes queimadas, dizem Bombeiros

Fumaça no céu de Manaus neste domingo (7) — Foto: Patrick Marques/G1 AM

Fumaça no céu de Manaus neste domingo (7) — Foto: Patrick Marques/G1 AM

Manaus amanheceu com uma nuvem de fumaça, neste domingo (7). Segundo o Corpo de Bombeiros, a fumaça é um acúmulo de queimadas em vários dias. Um incêndio atingiu uma área de vegetação na rodovia AM-070, a Manuel Urbano, que faz a ligação entre a capital, Manaus, e os municípios de Iranduba, Manacapuru e Novo Airão, na noite de sábado (6).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a nuvem de fumaça vista na cidade, durante a manhã, vem de um acúmulo de várias queimadas nos últimos dias.

“Ela tende a acumular na atmosfera. Quando a massa de ar fria chega, durante a noite e permanece em cima da cidade, ela tende a descer. Por isto, percebemos esta nuvem da cidade pela manhã”, informou o sargento Denis Wilson, do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas.

Queimada na Rodovia AM-070

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a corporação foi informada que um incêndio atingiu uma área de mata, na rodovia AM-070, por volta de 21h, na noite de sábado (6). Uma equipe então foi acionada para o local.

Ao chegar, eles constataram que as chamas já atingiam cerca de 500 metros quadrados da área. Eles então iniciaram o combate às chamas.

Mais de 9 mil focos de incêndio no AM

Nesta semana, um grande foco de incêndio tomou a área de mata virgem localizada na altura do quilômetro 55 da rodovia estadual AM 070 que liga Manaus ao município de Manacapuru. Este é apenas mais uma, das mais de 9 mil queimadas registradas no Amazonas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Na região Norte, o Amazonas ocupa a segunda posição, estando somente atrás do Pará, na quantidade de focos registradas pelo órgão, nos últimos 10 meses.

Fonte:G1

Mais de 2,4 milhões de eleitores devem ir às urnas no Amazomas para a escolha do futuro governador do estado

Mais de 2,4 milhões de eleitores devem ir às urnas no Amazomas para a escolha do futuro governador do estado
Neste domingo, dia 7, no Brasil, é festa cidadania, é festa da democracia. Cerca de 2.428.100 eleitores, dos quais 1.242.014 mulheres e 1.186.014 homens vão às urnas para escolher o seu novo governador.  Amazonino Mendes e Wilson Lima chegam com mais chances a esta reta final, empatados tecnicamente, segundo pesquisas de intenções de votos.

Os dois – o experiente Amazonino e o estreante jornalista, Wilson Lima – representam visões de vida e de mundo diametralmente opostas com os seus projetos para o estado.

Políticos experientes, como Lúcia Antony e Omar Aziz, possivelmente, devem ficar fora do segundo turno, conforme pesquisa eleitoral.

O candidato David Almeida pode surpreender, mas é pouco provável que consiga uma das duas vagas para uma possível disputa em segundo turno.

Os demais candidatos – Berg da UGT e Sidney Cabral – lutam para atingir o patamar da disputa, mas são os menos avaliados nas pesquisas de intenção de votos, distanciando-se dos mais cotados com uma margem de mais de 20 pontos percentuais.

Sobre a importância do voto como prática de cidadania, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) ensina que “nas eleições não se deve abrir mão de princípios éticos e de dispositivos legais, como o valor e a importância do voto, embora este não esgote o exercício da cidadania”.

Forró Festança e Sidney Chenkel são as atrações do Maloca Amazônia neste fim de semana

Forró Festança e Sidney Chenkel são as atrações do Maloca Amazônia neste fim de semana

Neste domingo, 7/10, o Flutuante Maloca Amazônia abre suas portas a partir das 12h, com entrada gratuita e rolha liberada até às 15h. As canções de sucesso ficam por conta do Forró Festança e do cantor Sidney Chenkel, além do artista que já prata da casa, DJ Marcos Batman, nos intervalos. Após às 15h, o cliente paga somente R$ 5, a entrada mais transfer (ida e volta até o Porto do São Raimundo).

Localizado no meio do rio Negro, o espaço oferece sempre música boa, comidas regionais e a vista para a ponte Phelippe Daou, um dos pontos turísticos de Manaus. O flutuante funciona todos os dias, de 10h até às 20h, exceto nas quartas-feiras, e nos finais de semana e feriados, das 8h às 20h.

No local, é disponibilizado, ainda, espaço kids, onde os pequenos desfrutam de pula-pula e piscina de bolinhas, além de oferecer um cardápio regional que vai de tambaqui assado à matrinxã recheada.

O local pode ser acessado por meio do Porto do São Raimundo, localizado na rua Sagrado Coração de Jesus, São Raimundo, zona Oeste de Manaus.

Serviço

O quê: Programação do Flutuante Maloca Amazônia

Quando: neste domingo, 07/10

Onde: acesso por meio do Porto do São Raimundo

Quanto: Entrada gratuita e rolha liberada até às 15h, após esse horário custa R$ 5, entrada mais travessia (ida e volta).

Bêbados e com bolsa cheia de drogas, preso do semiaberto e foragido são flagrados em carro na AM-010

Bêbados e com bolsa cheia de drogas, preso do semiaberto e foragido são flagrados em carro na AM-010
Três homens foram presos nesse sábado (7), enquanto passeavam embriagados em um carro repleto de drogas no quilômetro 30, da rodovia AM-010, que liga Manaus ao município do de Rio Preto da Eva, no interior do Amazonas.

Segundo a polícia, durante a abordagem,  os agentes perceberam que um dos passageiros usava tornozeleira eletrônica e constataram que outro era foragido da justiça.  Com eles foi encontrada uma bolsa com mais de 300 porções de entorpecentes de vários tipos: marinha, pasta base, oxi, cocaína, além de balança de precisão e dois celulares.



 

Além de bêbado, o condutor não tinha habilitação e a documentação do veículo estava irregular. Os suspeitos que estavam a caminho do Rio Preto da Eva, foram presos em flagrante e encaminhados ao 26º DIP em Manaus, onde permanecem presos.

Fuso horário diferente faz Amazonas atrasar resultado das eleições em 1hr

Fuso horário diferente faz Amazonas atrasar resultado das eleições em 1hr

Diferente do resto do país, o resultado das eleições deste domingo (7) no Amazonas só devem ser divulgado a partir das 19h, no horário de Manaus. Isso porque o estado tem dois fusos horários distintos e 13 municípios que ficam mais ao sul e seguem o fuso do Acre,  dessa forma, começam a votar apenas 1h depois do início do pleito em Manaus.

São eles: Atalaia do Norte, Benjamim Constant, Boca do Acre, Eirunepé, Envira, Ipixuna, Tabatinga, Guajará, São Paulo de Olivença, Jutaí, Itamarati, Pauini e Lábrea.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, como estas cidades começam a votar com um hora de diferença, elas também encerram uma hora mais tarde, ou seja, começam às 9h e termina às 18h.

A partir desse horário, o TRE inicia a apuração das urnas e acredita que até às 19h, ao menos 90% das mesmas, já terão sido conferidas, o que já garante um resultado. No Amazonas, o órgão estima que 2.428.100 eleitores compareça as urnas neste domingo.

TEXTO

%d blogueiros gostam disto: