Amazonastur apresenta o Amazon Discovery Park/BioPark para empresários, investidores e o trade turístico

Amazonastur apresenta o Amazon Discovery Park/BioPark para empresários, investidores e o trade turístico

O Governo do Amazonas, por meio da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), apresentou o projeto Amazon Discovery Park/Biopark para empresários e entidades do trade turístico amazonense. O projeto, segundo o Ministro do Turismo Max Beltrão, é prioridade não só do Amazonas, mas do Brasil quando se fala em novo produto turístico do País.

A apresentação do Amazon Discovery Park/Biopark ocorreu nesta terça-feira (14), no Centro de Convenções do Amazonas (CCA) Vasco Vasques e criou uma expectativa muito positiva nos empresários e nos representantes das entidades do trade turístico. “Esse parque será um dos principais indutores do fluxo internacional dentro do Brasil, e em especial, no Amazonas”, destacou a presidente da Amazonastur, Oreni Braga.

“O Amazonas já teve dois ciclos econômicos importantes. O primeiro ciclo, com a extração da borracha (Ciclo da Borracha) e o segundo, é a nossa Zona Franca. Agora chegou a vez do turismo e esse projeto será a mola propulsora para essa atividade que há anos levantamos bandeira no Estado”, disse o empresário e ex-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV-Amazonas), Paulo Trados.

Para Oreni Braga, o momento agora é de buscar recursos e parceiros para iniciar a implantação do projeto. “Tornar esse grande parque ambiental em um polo de atração turística nacional e internacional na cidade de Manaus e região metropolitana é o nosso grande objetivo, tanto que este projeto já foi apresentado ao BNDES, Petrobrás, BIDM a Unesco, ONU, Fundos de Investimentos Europeus, e agora temos uma oportunidade única de trazer para o Amazonas investimentos russos, que viabilizarão o maior parque temático do mundo”, disse a titular da Amazonastur.

BIOPARK – O projeto visa construir um parque temático voltado para a fauna e flora amazônica, com atrativos culturais da região, que contará com aproximadamente 70.000m² com um grande aquário, orquidário, arboreto, casa de caboclo, malocas indígenas, memorial da época da borracha, museu arqueológico, trilhas interpretativas, borboletário e teleférico.

“Será um grande avanço na região, tanto turístico pelo apelo, quanto cientifico, pois concentrará grande parte da fauna e flora, atraindo aquele visitante que quer conhecer mais sobre a região, bem como a comunidade científica que estuda os vários aspectos da nossa natureza”, explicou Oreni Braga.

Caíque Varella

Caíque Varella

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.