Dra. Mayara propõe obrigatoriedade de exame ecocardiograma fetal no Amazonas

29 de maio de 2019 16:230 comentários

Começou a tramitar na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o Projeto de Lei (PL) que pretende tornar obrigatória a realização do exame de ecocardiograma fetal no Amazonas.  De autoria da deputada Dra. Mayara Pinheiro Reis (PP), o PL visa promover diagnóstico e intervenção precoce nos casos de cardiopatia congênita em bebês.



De acordo com a parlamentar, é fundamental identificar este tipo de problema durante a gestação, para identificar defeitos cardíacos congênitos.  “Uma vez identificada a existência de cardiopatia congênita, na fase pré-natal, deve ser feito monitoramento do recém-nascido, de forma continuada. E com até sete dias  depois do nascimento, encaminhado para a cirurgia. Assim, vamos evitar complicações e aumentar a sobrevida dos bebês”,  explicou Dra. Mayara.

Ainda segundo o PL, a propositura vai possibilitar ainda uma preparação da família nessa situação, tanto materiais quanto emocionais. Outro ponto de destaque é que a logística do nascimento será organizada com vagas na maternidade mais adequada, equipes de prontidão, medicação especial e antecipação dos sintomas cardíacos, evitando uma manifestação mais prolongada.

“O que eu quero com essa proposta é aumentar  essa triagem, regulamentando este exame . Precisamos atender as mulheres de baixa renda, das comunidades, que não tem condições de realizar este tipo de procedimento”, explicou a deputada.  A gestante não precisa de nenhuma  preparação prévia para a realização do exame que é indolor; o médico aplica um gel  na barriga da futura mãe e através de um aparelho são geradas imagens do bebê dentro da barriga.

O exame ecofetal  entre 18 e 24 semana e dura cerca de 30 minutos, mas esse tempo pode ser menor,  caso o médico consiga verificar os dados de que precisa rapidamente.

Junho Vermelho

 

A saúde tem sido uma prioridade do mandato da deputada, por isso ela apresentou mais um projeto relacionado à área: um PL que dispõe sobre a concessão de meia-entrada para doadores de sangue, em eventos culturais, esportivos e de lazer.  São considerados doadores regulares, aqueles registrados na  Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas(Hemoam) e nos bancos de sangue do Estado; todos identificados por um documento oficial.

“Estamos no Junho vermelho, mês de conscientização para a doação de sangue. Com este projeto, vamos difundir ainda mais a importância de quanto um simples gesto pode ajudar a salvar vidas”, afirmou a parlamentar.

Deixe um comentário


TEXTO

%d blogueiros gostam disto: