Empreendedores locais comemoram sucesso de vendas e negócios em Feira de Turismo e Gastronomia

Empreendedores locais comemoram sucesso de vendas e negócios em Feira de Turismo e Gastronomia

A Feira de Turismo e Gastronomia realizada durante quatro dias, em Manaus, gerou oportunidades de negócios e movimentou a venda para artesãos, produtores e microempreendedores de 15 municípios do Estado. A meta do Governo do Amazonas é que o evento, promovido pela Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), se torne fixo e seja ampliado para todos os municípios do Estado.

“Tem artesão aqui que vendeu nesses quatro dias o que ele nunca vendeu em um mês em qualquer outra feira. Isso significa dizer que a gastronomia, o artesanato, os produtos turísticos desses municípios têm potencial. Nós trouxemos, ainda, os operadores de crédito nacionais e estrangeiros e os hotéis de selva, as pousadas e agências saíram daqui com novos negócios gerados”, destacou a presidente da Amazonastur, Oreni Braga.

Com os resultados positivos da primeira edição da Feira, a presidente do órgão já adianta que a próxima edição, em 2018, contará com a participação de todos os municípios do Amazonas e, também, dos estados da região Norte.

“A gente quer fazer uma edição arrojada com países da Pan Amazônia, como Peru, Colômbia, Venezuela, e nós vamos estar no próximo ano entregando a segunda etapa do Centro de Convenções. E não só isso é mostrar que o turismo está na pauta econômica do Estado” destacou.

Para quem participou da Feira, como a Agente de Desenvolvimento do Sebrae, Edilise Costa, os negócios foram promissores. Ela atuou no evento dando consultoria aos produtores e artesãos do município de Careiro Castanho. Já no primeiro dia o show room do stand precisou ser reposto.

“Nós estamos muito felizes em poder participar deste evento. Aqui conseguimos vender muitas peças, mas não somente vender e sim fazer contatos com operadores e ainda vender peças de artesãos que nem aqui estavam”, comemora.

Para o gerente de Marketing da Amazonastur, Nickolas Cabral, o diferencial da Feira foi colocar os produtores e artesãos em contato direto com os operadores e investidores, além, claro, com o público em geral.

“Os artesãos tiveram oportunidade de virem do município e encontrar direto com o consumir. Geralmente alguém compra esse produto do artesão e vende em Manaus. Aqui eles puderam vender esses produtos a um preço mais acessível e isso consequentemente aumentou bastante as vendas”.

Quem aproveitou esse contato direto com o público foi a artesã Rita Prossi. Com um produto já consolidado e com experiência em partições em feiras e eventos desse porte, a microempreendedora destaca a estrutura da Feira e já torce para que o evento seja permanente.

“A feira foi maravilhosa, nós tivemos bons contatos aqui, o local aqui muito bom. Eu gostaria muito que essa feira ficasse permanente”, destaca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *