Indo contra os cortes nas despesas do governo, escola recem inaugurada no valor de R$ 10,5 milhões, ganhará nova reforma de R$ 3,8 milhões

Indo contra os cortes nas despesas do governo, escola recem inaugurada no valor de R$ 10,5 milhões, ganhará nova reforma de R$ 3,8 milhões

Indo na contra mão dos cortes com despesas iniciadas pelo Governo do Estado, onde servidores trabalharão até às 14hs, para reduzir o gasto com ticket alimentação. A construtora Progresso irá receber R$ 4 milhões para realizar uma reforma na Escola Estadual de Tempo Integral Djalma Batista (na avenida Rodrigo Otávio, no Japiim, em frente à Ufam).

O que não se entende é o motivo de ser gasto tal quantia em uma reforma na qual a escola foi reinaugurada em manos de um ano, após passar por uma reforma que custou aos cofres do Estado mais ou menos 10.7 milhões.

O assunto foi tema de pronunciamento da deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB) na Sessão Plenária desta terça-feira, 3, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

A parlamentar oposicionista estranha o fato de a escola, que foi reinaugurada em fevereiro com gastos de R$ 10,5 milhões na reforma e ampliação, necessite de novas obras com investimento de quase 50% do valor original. Para Alessandra, o contrato é, no mínimo, suspeito. A deputada enviará ofício à Secretaria de Estado da Educação (Seduc) solicitando informações sobre os detalhes das novas obras no Ceti Djalma Batista. Ela adiantou que fará uma inspeção na escola.

“A Seduc acabou de publicar um contrato de mais R$ 4 milhões para fazer obras complementares, ou seja, agora além do aditivo eles encerram o contrato e fazem um novo de obras complementares. É a nova esperteza do Governo, mais R$ 4 milhões para escola Djalma Batista”, afirmou Alessandra, complementando: “Ou o projeto foi mal feito ou a empresa não fez todo o trabalho ou então é mutreta pura, que é o mais provável”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *