Governo do Amazonas realiza oficina de participação comunitária no igarapé da Sharp

Governo do Amazonas realiza oficina de participação comunitária no igarapé da Sharp
A comunidade do igarapé da Sharp, que integra o Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), do Governo do Estado, recebeu, na tarde desta terça-feira (14/11), uma oficina de participação comunitária e trabalho coletivo. O encontro contou com a participação de, aproximadamente, 50 pessoas, entre líderes comunitários, representatividades religiosas e moradores.
 
Em parceria com a Federação Amazonense das Comunidades (FAC), o encontro, realizado no Centro Paroquial da Igreja Católica e Sant’Ana, do bairro Armando Mendes, teve por objetivo despertar a necessidade do envolvimento comunitário e do trabalho coletivo, como mecanismo importante para a conquista de melhores condições e vida, promovendo a integração da comunidade.
 
Organizada pela equipe social do igarapé da Sharp, a atividade iniciou com um credenciamento, no qual os moradores do bairro assinaram frequência, receberam identificação e informações sobre a oficina. “Nosso intuito é iniciar o processo de sensibilização acerca da importância da organização comunitária para pleitear melhores condições, introduzir o conceito de cidadania e o processo de criação de uma associação de moradores”, explicou Maykon Dantas, coordenador da equipe social do igarapé Sharp.
 
Política de coletividade – De acordo com a secretária geral da FAC, Neuda Maria de Lima, a entidade tem o propósito de assessorar associações dentro das comunidades. “O objetivo é construir uma política de coletividade, na qual cada um seja atuante na sua comunidade. É necessário mostrar que existem ações para melhorar o ambiente comunitário, que podem partir deles mesmos, sem que precisem, necessariamente, ficar esperando por uma autoridade. Além disso, é fundamental que entendam a importância de estarem organizados, visando um maior alcance e respostas mais rápidas às suas solicitações”, considerou.
 
O professor José Adélcio Lemos, 53, mora há 20 anos no bairro Armando Mendes, onde fica a comunidade da Sharp. Para ele, a organização dos moradores e a criação de uma associação é primordial. “Costumo participar de tudo o que envolve a comunidade e acredito que, a partir de agora, as coisas vão caminhar melhor. Se posso fazer algo pelo meu bairro, farei e torço para que os colegas criem a mesma consciência”, pontuou o comunitário.
O trabalho em parceria com a FAC também foi realizado na comunidade São Sebastião, que está inserida nas obras do Prosamim. No Igarapé da Sharp, o programa vai beneficiar mais de mil famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *