Interiorização da nova Matriz Econômica Ambiental é prioridade, afirma Castro

Interiorização da nova Matriz Econômica Ambiental é prioridade, afirma Castro

A interiorização do diálogo sobre a nova Matriz Econômica Ambiental é imprescindível para o Amazonas. Este foi um dos pontos salientados pelo presidente da Comissão de Meio Ambiente (Caama), Luiz Castro (Rede) durante o Fórum homônimo, realizado em Rio Preto da Eva esta semana.

O evento teve como base os princípios estabelecidos pela Política Estadual de Serviços Ambientais, na 21ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (COP 21), realizada em Paris, na França, criada e sancionada em dezembro de 2015.

O fórum é uma preparação para as atividades que serão realizadas em junho deste ano no Amazonas, mês do Meio Ambiente. O evento resultou em uma carta de intenções, lida e assinada por todos os representantes de organizações não governamentais (ONGs), secretários de Estado, técnicos, embaixadores, além da Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ).

Chamada de ‘Natureza e futuro’, a carta apresenta seis pontos que irão nortear as atividades das entidades da área. O primeiro ponto assinala a nova Matriz Econômica Ambiental como resultado de uma construção coletiva do modelo.

“O segundo ponto, da interiorização, passará pelo aperfeiçoamento das ideias de cada instituição. A intenção é que o debate seja amplo e ressalte as problemáticas de cada região, especialmente as demandas sustentáveis”, afirmou Luiz Castro.

O fortalecimento da relação entre homem e natureza, através de uma política de economia sustentável é, resumidamente, o terceiro ponto.

O quarto tópico salientou a necessidade de corredores de integração do Amazonas com o restante do Brasil, por meio de mecanismos de governança que permitam o desenvolvimento e, ao mesmo tempo, mantendo as garantias ambientais.

No quinto item, foi destacada que a relevância e complexidade do tema torna essencial a construção em etapas. O objetivo é reunir especialistas e novas contribuições fundamentais ao fortalecimento do modelo que se espera alcançar.

Ao final, ficou resolvido que um novo debate acontecerá em junho, mês do meio ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *