Ipaam e Batalhão de Policiamento Ambiental apreenderam, em Berurí, mais de mil metros cúbicos de madeira

Ipaam e Batalhão de Policiamento Ambiental apreenderam, em Berurí, mais de mil metros cúbicos de madeira

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), por meio da gerência de Fiscalização Ambiental (Gefa), em ação conjunta com o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) da Polícia Militar do Amazonas (PMAM),  apreenderam na última segunda-feira, dia 6, mais de mil metros cúbicos de madeira em toras no município de Berurí, localizado na região do rio Purus, a 173 km de distância de Manaus em linha reta. A apreensão contou ainda com o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e do grupamento de Polícia Militar de Berurí.

A fiscalização encontrou as toras agrupadas em jangadas depois de denúncia anônima feita ao órgão que relatava que a madeira estava sendo conduzida por embarcações descendo o rio Purus, nas imediações da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, e também nas proximidades da comunidade Surara em jangadas organizadas à deriva ao longo do rio.

Segundo informações de comunitários as embarcações abandonaram as jangadas ao suspeitarem que a fiscalização do Ipaam e do Batalhão de Policiamento Ambiental estivessem na comunidade. Ao todo foram apreendidas mais de 750 toras de diversas espécies florestais, onde a Secretaria de Ação Social de Berurí ficou como depositária até que seja dado, pelo Ipaam, um destino final para a madeira.

Vale ressaltar que a autoria do ilícito ambiental ainda é desconhecida até o momento, mas está sendo investigada pelo Ipaam e BPAmb para que sejam adotados os procedimentos administrativos cabíveis referente à autuação.

O Ipaam tem realizado, em parceria com o Batalhão de Policiamento Ambiental, inúmeras ações no Estado com o intuito de coibir a prática de ilícitos ambientais. Essas ações devem se intensificar no decorrer do ano, principalmente na região metropolitana e no sul do Estado, onde há uma relevante ocorrência de crimes ambientais. Vale lembrar que a população pode fazer denúncias por meio dos telefones (92) 2123-6715 e 2123-6729 ou ainda diretamente no órgão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *