Júri condena réu a 36 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado no Interior do AM

Júri condena réu a 36 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado no Interior do AM

Após mais de 12 horas de julgamento, o Conselho de Sentença do Júri da Comarca de Silves condenou a 36 anos de reclusão Paulo Sérgio Viana Neves pelo homicídio de Pedro da Costa Colares e Marivaldo Viana Colares, respectivamente sogro e cunhado do reú. Os crimes, que ocorreram em 2015, tiveram grande repercussão no município, distante 176 quilômetros de Manaus. A sentença foi proferida pelo juiz titular da Comarca de Silves, René Gomes da Silva Júnior, que presidiu a sessão de julgamento iniciada às 9h concluída às 22h30 da última quinta-feira (27).

De acordo com o magistrado, o Conselho de Sentença não acolheu as três teses da defesa – de legitima defesa putativa (quando o autor imagina estar em estado de legítima defesa), homicídio privilegiado e homicídio culposo – e aceitou as duas teses qualificadoras apresentadas pelo Ministério Público do Estado (MPE), segundo as quais o acusado cometeu os dois homicídios por motivo fútil e com a utilização de recurso que impossibilitou a defesa das vítimas.

“Pelo entendimento do Conselho de Sentença, o réu naõ aceitou a separação da esposa e cometeu os homicídios por ter sido intimado a comparecer a uma delegacia. Utilizando-se do recurso de uma emboscada, o acusado assassinou o sogro e o cunhado fazendo uso de uma espingarda de calibre vinte”, disse o juiz René Júnior.

Segundo o magistrado, o crime teve grande repercussão e, à época, abalou a ordem social do município. “Mediante a sentença, o condenado – que já encontrava-se preso provisoriamente – será transferido para uma unidade prisional da capital, onde deve cumprir pena, inicialmente, em regime fechado”, informou o juiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *