Justiça obriga auditores fiscais a liberar cargas retidas no AM

Justiça obriga auditores fiscais a liberar cargas retidas no AM

Uma decisão da Justiça Federal obrigou auditores fiscais da Receita Federal do Amazonas a liberarem mercadorias retidas nos Portos e no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes em Manaus. A determinação do juiz federal Ricardo de Sales, foi publicada na sexta-feira (11)  e atendeu solicitação do mandato de segurança impetrado pela Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), há duas semanas. 

A categoria iniciou uma greve nacional no dia 18 de outubro, em represália à PL 5864/2016. Os auditores estão operando com 30% do contingente. Estão sendo despachadas apenas as cargas consideradas sensíveis, como medicamentos, animais vivos, cargas perecíveis e perigosas.

Na decisão, o juiz concedeu liminar a fim de garantir a continuidade dos serviços públicos prestados pela Receita Federal do Brasil, “devendo as autoridades alfandegárias impetradas procederam à liberação das mercadorias submetidas ao desembaraço aduaneiro em até 8 dias”.

Ele apontou ainda que se houver necessidade de instauração de procedimentos especiais de controle aduaneiro nos postos da Receita, eles devem ser iniciados em até 8 dias, contados do ingresso das mercadorias importadas.

O presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, comemorou a decisão, que segundo ele, vai preservar os empregos no Estado. “A Justiça acatou um apelo do centro da indústria em defesa não só do direito do associado, mas principalmente dos empregos gerados aqui no polo industrial que estavam sendo afetados por conta desse movimento. Ou seja, as empresas com impacto nas suas linhas de produção por falta de insumos”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *