Mais de 1.5 mil presos são soltos e serão monitorados por tornozeleiras eletrônicas em Manaus

Mais de 1.5 mil presos são soltos e serão monitorados por tornozeleiras eletrônicas em Manaus

Presos do regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) começaram a ser liberados nesta quarta-feira (14) às ruas de Manaus com uso de tornozeleira eletrônica. Ontem (13), 47 detentos passaram por audiência e foram liberados. Hoje, 56 presos passam pelo procedimento.

As audiências vêm sendo realizadas com juízes da Vara de Execução Penal (VEP) no Fórum Ministro Henoch Reis, no bairro São Francisco, Zona Centro-Sul da capital. Primeiramente, os detentos participam da análise das certidões carcerárias das equipes multidisciplinares da Seap e, posteriormente, é feita a liberação com inclusão do monitoramento eletrônico.

De volta para casa

Os trabalhos dos juízes começaram cedo. Todo o processo dura menos de meia hora. E quem consegue o benefício sai prometendo não retornar mais para o crime. Como é o caso de Bruno Monteiro Batista. Ele entrou para o sistema prisional aos 18 anos, foi condenado por tráfico de drogas e, ontem, o processo dele foi analisado. Hoje, ele recebeu a tornozeleira eletrônica e foi para casa. “Quero abraçar toda a minha família” disse.

O juiz Ronniery Stone, da VEP, disse que o resultado dos traBalhos estão sendo positivos. Ele destacou que junto com A análise está sendo o feito o censo do regime semiaberto. É feita a biometria de cada preso e a fotografia deles.

Conforme o juiz, muitos detentos que estavam foragidos estão se apresentando espontaneamente. De acordo com o magistrado, a maioria afirma que fugiu do sistema prisional na época do massacre do Compaj, em janeiro de 2017, temendo ser morte. Durante a chacina do Compaj, mais de 60 presos foram torturados, assassinados e esquartejados.

Conforme a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, ontem, terça-feira (13), foram realizadas 63 audiências, resultando na liberação de 47 presos do semiaberto com monitoramento eletrônico. Três progrediram para o regime aberto, seis receberam livramentos condicionais, seis transferências para o Centro de Detenção Provisória Masculino II (CDPM II) e um preso regrediu ao regime fechado do Compaj.

Segundo a Seap, a Polícia Civil do Amazonas prestou apoio à ação com a Delegacia Móvel, que está sendo utilizada como espaço para o cadastro no sistema de monitoramento dos presos que precisam da aplicação da tornozeleira eletrônica.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) negou uma informação que circulou nas redes sociais de que 1.500 presos do semiaberto estavam sendo liberados. “O número não condiz com a realidade de presos desse regime na capital”, afirmou a assessoria de imprensa da Seap. (Fonte: ACRITICA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *