PM é acusado de xingar e tentar derrubar mãe e filho de motocicleta no interior do AM

16 de julho de 2019 08:440 comentários

Depois de quase ser derrubada de uma motocicleta com seu filho de 5 anos, moradora de Eirunepé denúncia soldado por abuso de autoridade e violência moral.

Uma moradora do município de Eirunepé, (distante 1.159 quilômetros de Manaus), fez uma denúncia de que teria sido vítima de abuso de autoridade e violência moral, por parte do soldado Walbenny Barroso da 1ª Companhia Independente de Polícia Militar (1ª CIPM).



A denunciante se chama Tamiris Fermin. Segundo ela, ontem, segunda-feira, 15, foi abordada pelo soldado Walbenny Barroso, que de acordo com ela, tentou derrubá-la de cima da motocicleta que ela dirigia onde também levava na garupa seu filho de apenas 5 anos de idade.

Entramos em contato com o advogado da vítima, que afirmou que sua cliente estava indo em direção a casa de sua mãe quando o soldado começou a persegui-la e, pediu à mesma para que parasse, porém, ela com medo apenas diminuiu a velocidade. A jovem continuou em direção a sua mãe quando o soldado começou a ofende-la com palavrões e jogou a moto para cima da jovem, assim, tentando derruba-la, ao chegar a casa de sua mãe o soldado tentou intimida-la. Ela questionou o motivo pelo qual ele estava lhe ofendendo, já que até o vice-prefeito e outros condutores estavam sem capacete, então, o porquê eles estavam parando somente ela, foi então que os mesmos a deixaram, entretanto, o caso não para por aqui.

Na volta para sua casa a jovem teve que fazer o trajeto passando em frente ao quartel onde o soldado estava “fumando um cigarro”, ele a viu, foi quando ele fez as agressões morais e ela se defendeu o chamando de “noiado”, em seguida, ele pegou um dos veículos do quartel e voltou novamente a perseguir a moça até a sua casa, ele então jogou novamente o veículo para cima da jovem e de seu filho, assim, tentando derruba-los. A perseguição continuou até a sua casa quando o soldado voltou com as agressões verbais e morais, então, o esposo da vítima que também é advogado saiu para ver o que estava “acontecendo” e, o soldado ameaçou invadir sua casa para prender a jovem. O soldado começou a se exaltar, assim, desrespeitando o advogado, em voz alta e na presença de testemunhas afirmou que iria derrubá-la mesmo. O soldado estava com apoio do tenente Farias, e ameaçou por varias vezes invadir o imóvel para algemá-la se ela não se entregasse.

Entramos em contato com Tamiris, que afirmou que tudo isso aconteceu porquê ela conduzia sua motocicleta sem capacete. Ela disse que não entendia o motivo de tanta “grosseria” por parte do soldado da PM e de seu oficial comandante, se é “comum” os motociclistas andarem sem capacete em Eirunepé.

Tamiris Fermin, relatou inclusive que no momento em que os dois policiais militares estavam em seu portão com o propósito de prendê-la a qualquer custo, um outro soldado PM passou na rua pilotando uma motocicleta e ele também não usava capacete.

A moradora de Eirunepé ressaltou que foi presa e que se dependesse da má vontade e da grosseria do soldado Walbenny Barroso e do tenente, ela teria ficado presa na Delegacia Interativa de Polícia do município.

Tamiris Fermin revelou que o filho pode ter ficado com problemas psicológicos ja que a criança agora só fala em “matar o policial”.

Tamiris Fermin disse esperar que sua denúncia chegue ao Comando Geral da Polícia Militar e que o soldado e o tenente denunciados sofram as devidas punições disciplinares pelo mal que causaram à ela e ao seu filho de 5 anos.

Deixe um comentário


TEXTO

%d blogueiros gostam disto: