“Policial, mulher e mãe” A soldado Kinaia Zenir, a força feminina Policial

“Policial, mulher e mãe” A soldado Kinaia Zenir, a força feminina Policial

Por Kessia Araújo

Foi na década de 1950 que surgiu a ideia de empregar mulheres em missões policiais no Brasil, com o intuito de sanar lacunas existentes na organização policial.

Em 12 de maio de 1955, sob o Decreto 24.548 , institui-se, na Guarda Civil de São Paulo, o corpo de Policiamento Especial Feminino e, na mesma data, Hilda Macedo tornou-se a primeira comandante do Policiamento Especial Feminino. Hilda Macedo foi assistente da cadeira de criminologia da Escola de Policia.

No ano de 1980 formou-se a 1ª turma de policiais militares femininas no Amazonas, sendo as primeiras colocadas Antonia Arlene Oliveira, e Sandra Regina Bulcão.

No dia de hoje, em comemoração a Policiais Militares femininas, o Portal A Notícia do Amazonas, entrevistou a soldado Kinaia Zenir da Silva.

Como é ser mulher, mãe, e Policial feminina?

Ser mulher, mãe, e policial é você se sentir uma super heroína de fato, pois além de exercer todas as tarefas cabíveis às mulheres, ainda temos a missão de preservar a ordem pública, e acreditem, essa tarefa nem sempre é fácil, mas é gratificante quando conseguimos cumprir nossa missão e temos o respeito e admiração da sociedade.

Como é sua vida dentro e fora da polícia Militar?

 Minha vida dentro e fora da corporação é sempre a mil, pois em casa tenho que ser a esposa e amiga do marido, (empregada também ), e das filhas, sou a mãe, a amiga , a professora, a psicóloga, e qualquer outra coisa que é elas precisarem (risos). E quando entro de serviço, me transformo em anjo da guarda de pessoas que na maioria das vezes nem conheço, mas essa é minha missão e eu cumpro com amor e dedicação. Só uma observação: somos policiais 24 horas por dia.

Pode nos contar um pouco sobre a Kinaia e sobre a Pm Zenir ?

 Sobre mim eu tenho muita coisa a dizer (risos) , se deixar escrevo um livro. Mas vou resumir aqui. Tudo que faço, faço com carinho e dedicação e a função de policial feminina só acrescentou e aflorou em mim qualidades que eu desconhecia. Amo o que faço.

Você acha que ainda há preconceito, com mulheres na Policia?

Sobre a questão do preconceito, creio que isso vem diminuindo a cada dia, uma prova disso é o dia de hoje (risos) , dedicado às pfem’s. Mas infelizmente sempre terá um ou outro que irá nos julgar ou apontar erros pelo fato de sermos mulheres. A essas pessoas eu só posso dizer uma coisa, somos seres humanos, e estamos suscetíveis a erros como qualquer outro.

Você consegue manter o seu lado feminino quando está fardada?

Com toda certeza eu consigo manter meu lado feminino fardada. E minhas irmãs de farda, também arrasam na produção.

Às vezes vejo colegas minhas tão lindas fardadas que me pergunto. O porquê delas não ganharem dinheiro trabalhando como modelo? Acredito que essa profissão eleve bastante à autoestima de nós mulheres.

Parabéns a todas as Policiais Militares Femininas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *