Seap e Ufam valoriza a autoestima de internas do semiaberto feminino

Seap e Ufam valoriza a autoestima de internas do semiaberto feminino

Internas da Unidade Prisional Semiaberto Feminino (UPSF) participaram de uma ação de estética na tarde desta segunda-feira (29) com cabeleireiros e maquiadores profissionais do Amanda Beauty Center do Manauara Shopping. A atividade faz parte do projeto “Depois das grades e apesar delas, saúde como caminho de liberdade para as mulheres”, desenvolvido pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) com o apoio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Participaram da atividade 16 internas da unidade.

O secretário da Seap, Pedro Florencio, destaca a importância da parceria com a Ufam, em atividades que dão atenção à população carcerária. “Esse projeto já vem alcançado um número considerável de internas que estão participando das mais diversas atividades desenvolvidas pelo grupo de professores e acadêmicos, entre ações de saúde, palestras voltadas para orientações médicas, bem-estar, e agora sobre beleza, que é essencial para o público feminino”.

Segundo a professora da Ufam, Cecília Freitas, essa etapa do projeto, intitulada “Muito prazer, meu nome é mulher”, é uma promoção para a saúde das internas, que estimula a autoestima e valoriza a beleza feminina. “A nossa perspectiva de promoção de saúde é desenvolver atividades como essa. O fato dos profissionais da Amanda Beauty se colocarem a disposição para cuidar do cabelo, penteados, pele e maquiagem estimula a saúde mental delas. E isso contribui para o corpo todo, porque cuidar da saúde não é apenas dar remédio para quem está doente”.

A Ufam desenvolve o projeto na UPSF há mais de um ano, com alunos de medicina da universidade. As ações estão sendo ampliadas e os acadêmicos voluntários dos cursos de psicologia e educação física estão integrando o projeto. O próximo passo voltado para internas do semiaberto será a prática de atividades laborais acompanhadas por uma turma de educação física no campus da Ufam.

Yana Gadelha é interna do regime semiaberto, e sonha com uma oportunidade de trabalho como maquiadora. Ela elogiou a atenção e a forma como foi atendida. “A maquiadora me perguntou se eu gostava de maquiagem forte ou suave, e fez da forma como eu disse que gostava. Eu acho muito importante esse tipo de atividade e o jeito que somos tratadas, hoje eu aprendi mais um pouco sobre o que eu gosto, que é a maquiagem. Agradeço e reconheço o belo trabalho que esses profissionais fazem”, disse a reeducanda.

Para Vanessa Sena, a atividade contribui para levantar a sua autoestima, que as vezes fica fragilizada perante a situação em que vive atualmente. “Muitas vezes nos sentimos deprimidas, e esse projeto é uma maneira de animar aquilo que achamos que pode estar acabada. A beleza que está escondida entre a tristeza de algumas foi resgatada com essa ação, que está nos ajudando a enxergar o dia a dia com mais alegria”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *