SEDUC promove encontro presencial do programa Profuncionário, e disponibiliza cursos aos servidores das escolas da rede pública

28 de junho de 2018 15:340 comentários

Reunindo assistentes administrativos, auxiliares de serviços gerais, merendeiros, além de demais profissionais de nível médio que atuam nas escolas da rede pública estadual, a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (SEDUC/AM), promoveu, na manhã desta quinta-feira (28), o último encontro presencial do Programa Indutor de Formação Profissional em Serviço dos Funcionários da Educação Básica Pública (Profuncionário).

Viabilizado pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com a SEDUC, o programa acontece no Amazonas desde 2009. Em sua atual versão, com cursos técnicos em Alimentação Escolar, Secretaria Escolar e Infraestrutura Escolar, o programa teve início em maio de 2016 e está previsto para ser concluído neste ano.

O encontro presencial desta manhã aconteceu no Centro de Formação Profissional Padre José de Anchieta, no bairro Japiim, zona sul de Manaus, na sede da SEDUC e contou com a presença de 50 profissionais que atuam em diferentes escolas localizadas na capital.

De acordo com a gerente de formação da SEDUC, professora Rosângela Caldas, o programa tem melhorado a atuação dos profissionais nas escolas.

“O Profuncionário é um programa federal, em que estamos trabalhando com os não docentes e é um curso que veio só trazer benefícios na questão da formação, contribuir com a formação desses profissionais que já estão dentro da escola e a formação veio contribuir com a prática deles mesmos, para que eles possam melhorar cada vez mais o trabalho e também na questão do atendimento do nosso aluno, que é o nosso foco”, explicou.

Aperfeiçoamento – A merendeira Salet Silva de Araújo Nonato, que é merendeira na escola estadual Gilberto Mestrinho, na zona leste de Manaus, está fazendo o curso em Alimentação Escolar. Segundo ela, o curso tem lhe proporcionado um conhecimento positivo na área.

“É um curso completo. Na nossa área, mesmo sendo de alimentação, tivemos noção de Direito, Informática, na área Administrativa, não só da alimentação, assuntos que, com certeza, a gente já está colocando em prática. Com o conhecimento, fica mais fácil você lidar com os alunos, de resolver as coisas na escola, porque, como merendeira, a gente está acostumada a dar um jeitinho na panela na hora da merenda, mas tem toda aquela relação interpessoal, de higiene, informações nutricionais dos alimentos, porque a maioria conhecia, sabia preparar, mas os benefícios, com melhor aproveitamento, a gente desconhecia algumas coisas”, disse.

Quem também está na fase final do curso técnico em Infraestrutura Escolar é a auxiliar de serviços gerais Cacilda Paiva de Souza, que atua na escola estadual Isabel Barroncas, no bairro São Francisco, na zona sul da cidade.

Segundo ela, no curso, teoria e prática se misturam, garantindo uma formação completa na área.

“Aqui, a gente tem a prática, mas aqui a gente consegue ter a teoria de coisas que a gente vê na escola e não sabe como se portar e aqui a gente aprende. Tivemos vários módulos, várias coisas referentes ao nosso trabalho e é muito bom. A gente aprende a ser mais profissional. Não é só limpar a escola, é manter os equipamentos, é aprender como tratar as pessoas, os alunos”, destacou a servidora.

Secretaria Escolar – Nádia de Fátima Arruda, que é assistente administrativo na escola Letício de Campos Dantas, situada no bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus, e está fazendo o curso técnico em Secretaria Escolar. Para ela, o curso tem sido um complemento da função que já exerce na escola.

“O Profuncionário é um curso que só tem a engrandecer quem trabalha na área, no caso, não só secretária, mas administrativo. É um complemento da nossa função, até porque os administrativos, a maioria deles, tornam-se secretários, então só veio a engrandecer, tirar nossas dúvidas a respeito da função, porque, quando você passa no concurso, muitas pessoas são de áreas divergentes, então, quando a gente entra cheio de dúvidas e o Profuncionário veio para esclarecer todas essas dúvidas e engrandecer ainda mais o nosso trabalho”, afirmou Arruda.

Programa – O Profuncionário obedece ao disposto no Artigo 61 da Lei de Diretrizes e Bases nº 9394/1996, conforme a Lei nº 12.014/2009 e ao disposto no parágrafo único do art. 62-A da Lei de Diretrizes e Bases, por meio do qual a profissionalização tornou-se direito de todos os funcionários da educação.

A dinâmica dos cursos busca unir as dimensões técnicas e pedagógicas imprescindíveis para a formação humana, comprometida com a ética e profissionalmente com a construção de uma educação de qualidade.

Deixe um comentário


TEXTO

%d blogueiros gostam disto: