Semsa conquista prêmio InovaSUS pelo uso de tecnologia na gestão do trabalho

Semsa conquista prêmio InovaSUS pelo uso de tecnologia na gestão do trabalho

A modernização na gestão da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) rendeu à capital o Prêmio InovaSUS 2015, responsável por incentivar e premiar projetos e experiências inovadoras na Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O reconhecimento do Ministério da Saúde (MS) é resultado das ações iniciadas ainda em 2015, com a incorporação ao Sistema Integrado de Gestão de Pessoas (Sigep) e o envolvimento dos profissionais do Departamento de Gestão do Trabalho e Educação (Dtrab),

“O sistema implantado permitiu que a Semsa avançasse no gerenciamento de pessoas, garantido mais qualidade e maior agilidade na execução dos processos relacionados aos servidores de saúde prestados pelo Município”, explica o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

O Projeto inicial do Padrão de Recursos Humanos (RH) foi idealizado pela servidora Mircleide Dias, atual diretora do Dtrab, a partir do curso de especialização em Gestão de Trabalho e Educação na Saúde, oferecido pela Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz.

De acordo com a diretora, a partir do uso da nova tecnologia, a Semsa passou a conhecer, com precisão, a força de trabalho que dispõe e a que é necessária para que os setores possam atuar com 100% do planejado, buscando melhor atender os usuários dos serviços de Saúde. Além disso, o sistema permite o acesso atualizado e em tempo real via web com a utilização de aplicativos móveis.

A adoção ao novo sistema gerencial também garantiu maior informatização e descentralização das ações, assegurando autonomia, inclusive, aos Distritos de Saúde, dentro da sua área de atuação. O sistema agiliza a tramitação das solicitações de relotações de servidores conforme as necessidades da rede de saúde.

Atualmente, estão implantados módulos como Padrão de RH; de Relotação; de Intenção de Relotação, de Usufruto de Férias e de Licenças Médicas.

“Antes não tínhamos um padrão, por exemplo, da força de trabalho necessária aos setores administrativos e de assistência, como as Unidades Básicas de Saúde, maternidade ou Centros de Especialidades Odontológicas”, lembra o estatístico Ézio Lopes, da Gerência de Gestão do Trabalho. “As intenções ou pedidos de relotações, por exemplo, eram feitas por meio de planilhas do MS Excel ou o velho memorando e o formulário específico de solicitação”, complementa o gerente de Trabalho, Eymerson da Encarnação.

Atualmente, a Semsa possui em seu quadro de recursos humanos cerca de 12 mil servidores com diferentes regimes, entre estatutários, RDA’s, CLT, membros em comissão, cargos comissionados, disposicionados e estagiários.

Caíque Varella

Caíque Varella

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.