SINDUSCON-AM apresenta Censo do Mercado Imobiliário 2016

SINDUSCON-AM apresenta Censo do Mercado Imobiliário 2016

No próximo dia 17 de novembro às 8h30, o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (SINDUSCON-AM) apresenta o Censo do Mercado Imobiliário 2016, um completo e atualizado estudo anual do setor. A apresentação será feita no Auditório Auton Furtado Jr, sede da Federação das Indústrias do Amazonas (FIEAM), na Avenida Joaquim Nabuco, 1919 – Centro.

O estudo apresenta dados do setor no Amazonas e, especificamente em Manaus, em divisões por bairros e regiões da cidade, incluindo sua zona rural. Dentre os pontos a serem apresentados estão uma análise da densidade demográfica e sóciodemográfica da capital amazonense. Além dos dados levantados, será feita uma comparação dos resultados com os de outras capitais brasileiras.

Outros pontos que serão apresentados são o percentual (por região da cidade) do tipo de domicílio (casa ou apartamento); o índice de verticalização da cidade num comparativo com as 10 maiores cidades brasileiras; o índice de propriedade (domicílios próprios) por região; o saldo de empregos formais no Amazonas e em Manaus na área da Construção Civil; e o Habite-se em unidades e em área (m²) residencial, comercial e industrial, num comparativo com os últimos anos.

O Censo do Mercado Imobiliário apresentará também o número de empreendimentos lançados no período em destaque, por bairro e regiões, assim como a oferta e o preço médio praticado por unidade (por bairro), e o percentual de disponibilidade diante das ofertas (por região), além de uma análise geral de mercado, por padrão: especial (studio ou loft até 1 quarto); super econômico (até R$180mil); econômico (até R$250 mil); standard (até R$400mil); médio (até R$700mil); alto (até R$1mi); luxo (até R$2mi) e super luxo (acima de R$2mi).

Dados do último Censo

De acordo com o Presidente do Sinduscon-AM, Frank do Carmo Souza, o resultado do Censo de 2016.1, que levantou os dados do primeiro semestre do ano, destacou que 40,9% da população manauara possuía idade média entre 25 e 49 anos, que compõe a principal faixa de aquisição de imóveis residenciais na cidade. Pontuou ainda um crescimento anual domiciliar de 4,12%, o que significa pelo menos 164 mil novos domicílios na cidade de Manaus até 2021, considerando que, até o último ano já existiam mais de 600 mil domicílios permanentes ocupados por famílias em Manaus.

“Esses dados atualizados são importantes para que possamos traçar novas metas e executar um planejamento estratégico para o setor no Estado do Amazonas e na cidade de Manaus”, finalizou Souza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *