Tecnologias utilizadas na produção de citros são incentivadas durante a 41ª Expoagro

4 de outubro de 2019 18:450 comentários
Tecnologias no cultivo de citros e variedades adaptadas ao clima do Amazonas e de alta produtividade estão entre os temas abordados no Seminário de Citricultura realizado pelo Sistema Sepror (Idam, Adaf e ADS) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O evento faz parte das atividades realizadas durante a 41ª Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro), que acontece até o próximo domingo (06/10), na área externa do Centro Universitário Nilton Lins, Parque das Laranjeiras, zona centro-sul de Manaus.
Pesquisadores renomados da Embrapa em Cruz das Almas/Bahia, Pará, Amazonas e da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) apresentaram os benefícios das cultivares de porta-enxertos e copas utilizadas na produção de citros. No Amazonas, já existem experimentos dessa natureza que apresentaram excelentes resultados quanto à resistência de pragas e doenças como é o caso do município de Rio Preto da Eva, principal produtor de laranja do estado.
Para o secretário Produção Rural, Petrucio Magalhães, é importante investir em novas tecnologias para que a produtividade do estado possa aumentar e trazer melhorias na qualidade de vida das famílias rurais. “Precisamos de alternativas sustentáveis e não podemos ficar dependentes exclusivamente do Polo Industrial de Manaus”, destacou.
Para o pesquisador na área de Mandioca e Fruticultura da Embrapa em Cruz das Almas, Cláudio Luiz, para que as tecnologias cheguem até o produtor é preciso trabalhar de forma integrada. “Não adianta ter uma pesquisa bem feita se as informações não chegarem até o produtor e citricultor que estão lá no campo. O Idam é um braço importantíssimo porque não temos a permeabilidade do órgão, e tem lugares que não conseguimos chegar. A extensão rural tem a missão de validar essa pesquisa como multiplicadores de tecnologias”, disse Cláudio, ao destacar que a planta cítrica se adapta muito bem ao clima do Amazonas e apresenta excelente vegetação e produtividade.
A diretora-presidente do Idam, Eda Oliva, destacou que, na área da citricultura, o Idam irá trabalhar com projetos prioritários em nove municípios do Estado e os investimentos em Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) registram mais de R$1,3 milhão em capacitação, profissionalização, metodologias participativas, entre outras atividades previstas. “Além disso, temos um Termo de Cooperação Técnica firmado entre o Idam e a Embrapa que visa incentivar a inserção de tecnologias nas atividades rurais e levar uma assistência técnica qualificada aos agricultores familiares e produtores rurais do Amazonas”, ressaltou a presidente.
 
Visita de Campo – Agricultores, técnicos e profissionais participaram da aula prática na Estação Experimental da Embrapa em Iranduba nesta sexta-feira (04/10). Os participantes puderam conferir os experimentos realizados com as cultivares de porta-enxertos e copas.
Para o produtor Jairo Xavier, de 51 anos, do ramal Nova Esperança, em Manacapuru, é preciso sempre buscar conhecimento da atividade que está sendo desenvolvida. “Assim como qualquer outro negócio com a agricultura não é diferente, precisamos ter conhecimento para iniciar na atividade, buscar sempre as novas técnicas que estão sendo empregadas, e principalmente o que irá tornar o negócio mais lucrativo”, destacou.
De acordo com o pesquisador da Embrapa em Cruz das Almas (BA), José Eduardo, os agricultores familiares e produtores rurais que desejam trabalhar com a citricultura é importante fazer um planejamento prévio, realizar a análise de solo, verificar a qualidade da muda e definir qual copa ou porta-enxerto utilizar, como também ficar atento ao manejo correto do pomar.
Produção – No Amazonas, conforme dados do Idam de 2018, a produção do estado foi de aproximadamente 434,2 milhões de frutos (laranja, tangerina e limão). Desse total, cerca de 89% da produção corresponde a cultura da laranja, que tem como maior produtor o município de Rio Preto da Eva, que contribui com 42% da produção total do estado.
O Seminário de Citricultura teve início na quinta-feira (03/10), no auditório Vânia Pimentel da Universidade Nilton Lins e encerrou nesta-quinta feira (04/10), com uma visita de campo na sede da Embrapa em Iranduba.

Deixe um comentário


TEXTO

%d blogueiros gostam disto: